Publicidade
Manaus
ECONOMIA

Com o aumento do imposto, especialistas dão dicas de como economizar combustível

Repassado ao consumidor, o litro da gasolina ficou R$ 0,41 mais caro em alguns postos, podendo encontrar de R$ 3,85 a R$ 4,35 30/07/2017 às 05:00 - Atualizado em 30/07/2017 às 12:19
Show ddhyhydhyhyy
Rodar com os pneus murchos aumenta a resistência à rolagem e desgaste irregularmente os pneus, o que faz com que consuma mais gasolina (Foto: Winnetou Almeida)
Rebeca Mota Manaus (AM)

O governo federal aumentou a tributação de PIS/Cofins sobre os combustíveis na última quinta-feira (20). Repassado ao consumidor, o litro da gasolina ficou R$ 0,41 mais caro em alguns postos, podendo encontrar de R$ 3,85 a R$ 4,35. 

Dessa forma, o +DINHEIRO conversou com  engenheiro mecânico Luiz Melquiades, que dá dicas de como adotar  algumas atitudes estratégicas para fazer com que seu veículo consuma consideravelmente menos e pesando pouco no seu orçamento.

Alinhamento
Ter a suspensão e a direção desalinhadas aumentam a resistência à rodagem dos pneus fazendo o carro consumir mais e deve ser feito a 10 mil quilômetros ou quando se “atropela” aquela cratera na pista.

O ar-condicionado
O ar-condicionado pode aumentar o consumo de combustível em até 2%. “Em Manaus é difícil não usar, mas em dias que seja possível suportar o Sol, desligue o ar, abra a janela e economize. Na estrada a situação é diferente, pois os vidros fechados contribuem para diminuir a resistência do ar”, diz.

Peso morto
Arrume o compartilhamento de carga e livre-se do peso morto para não jogas combustível e dinheiro fora.

 Acelere uniformemente
Evite acelerações bruscas. A aceleração uniforme reduz consideravelmente o consumo de combustível e o desgaste do motor. 

Não esquente
“Para economizar, ligue o carro, coloque o cinto, ajuste os retrovisores e siga em frente, mas não acelere forte”, revela.

Não abandone o mecânico
Um simples filtro de ar ficar entupido pode aumentar 10% a mais no consumo,  por isso é necessário deixar as manutenções em dias.

Trocas de marcha
Troque as marchas com sabedoria. Não estique demais e tente manter as rotações numa faixa econômica. Deixe as marchas “fortes” para subidas íngremes ou as use para fazer o freio-motor, evitando assim a famosa ”banguela” (uso do ponto morto numa descida). Essa prática diminui o consumo com injeção e reduz o desgaste dos freios. 

Calibragem 
Rodar com os pneus murchos aumenta a resistência à rolagem. Caso a pressão do pneumático estiver 30% abaixo recomendada pelo fabricante do veículo, o consumo pode aumentar em até 2.5%. Além do desgaste irregular dos pneus. Aí o prejuízo é enorme.

Ainda vale a pena ter um carro?

Com o aumento do combustível e gastos com manutenções, famílias avaliam qual é a escolha mais barata: ter um carro, andar de táxi ou Uber? Segundo especialistas devem ser avaliados todos os custos atrelados.

O +Dinheiro comparou quanto custam, em média, os trajetos de ida do Jornal A Crítica (situada na avenida André Araújo, no bairro Aleixo, zona Centro-Sul) à Delegacia Geral da Polícia Civil (na avenida Pedro Teixeira, bairro Dom Pedro, zona Centro-oeste de Manaus) de táxi é R$ 35, Uber R$ 14,12, carro próprio R$ 4 e ônibus R$ 7,60.

No caso do carro, foi considerado um gasto médio de R$ 4 por 8,5 quilômetros, que é a despesa média aproximada gerada por um carro, segundo o engenheiro Luiz Melquiades.

Para o educador financeiro do Canal Dinheiro à Vista, Reinaldo Domingos, o custo de um carro vai muito além do gasto com gasolina, mas também no estacionamento, seguro, lavagem, manutenções, IPVA, DPVAT e outros custos mensais e anuais. “Isto representa em média 2% do valor do carro, por exemplo, um carro que vale R$ 30 mil vai custar R$ 600 por mês. E se fosse investir esse R$ 30 mil em qualquer outro tipo de investimento, renderia 10% ao ano, ou seja, renderia R$ 33 mil, por isso deve ser avaliado o conjunto de custos”, explica.

Saiba mais

Donos de postos de combustíveis de 22 estados definiram um protesto nacional para o dia 1º de agosto contra o aumento da alíquota do PIS e Cofins que incide sobre a gasolina. Além de faixas pretas que serão colocadas nas bombas terá cartazes com a mensagem: “Aumentar impostos sobre os combustíveis não é a solução! Basta!”. 
 

Publicidade
Publicidade