Publicidade
Manaus
Tecnologia

Como se faz uma Moto Honda

3,5 mil motos são produzidas por dia na Honda Amazônia 04/09/2016 às 10:00 - Atualizado em 07/09/2016 às 13:52
Show moto 1
Moto xre 190, é um dos 26 modelos produzidos na Honda Amazônia
Rebeca Mota Manaus (AM)

Um dos veículos mais cobiçados pelos brasileiros é a moto, por ser econômica, rápida, ter facilidade de locomoção chegando a custar menos que o transporte coletivo por mês e com até 6,3 mil reais você pode comprar direto da concessio nária.  A Moto Honda da Amazônia foi Inaugurada há quase 40 anos, com produção de 3,5 mil motos por dia em 26 modelos diferentes e em cada 25 segundos uma moto fica pronta na fábrica. A Honda segue em ampliação da verticalização de sua fábrica de motocicletas.

  1. Pesquisa & Desenvolvimento de Produtos

Antes de desenvolver um novo modelo, a Honda vai às ruas para conhecer o que as pessoas esperam de uma motocicleta, como pretendem usá-la, o que imaginam em termos de design, estilo, performance e ergonomia. Com essas informações em mãos, os profissionais do Centro de Desenvolvimento e Tecnologia (CDT) de Manaus dão início ao processo de desenvolvimento de um novo produto.

Além do conceito do modelo, a equipe de Engenharia realiza o detalhamento item a item de todas as peças e componentes que irão compor o veículo. Para confecção dessas peças, são desenvolvidos moldes e ferramentas para a produção. Os mesmos são testados e seguem para processamento nos equipamentos que irão executar o trabalho em cada um dos processos produtivos, como podemos ver abaixo.

  1. Processos de sinterização e fundição0

A Honda é a única fabricante do setor a realizar o processo de sinterização, que consiste em compactar um pó metálico composto de ferro, cobre, níquel e grafite para formar peças como a engrenagem que compõe o conjunto de embreagem do motor. Após a compactação, essas peças passam por um forno a 1.150ºC, onde ocorre a sinterização para que saiam prontas para a montagem na motocicleta.

Outro processo inicial importante é a fabricação de peças de alumínio. Todos os componentes utilizam ligas especiais de alumínio como matéria-prima, que são injetadas através de modernos equipamentos em moldes projetados para conformar, com alta precisão, peças como as rodas de liga leve,componentes do motor, entre outras.

  1. Processo de usinagem

Responsável pelo acabamento de componentes de alumínio fundidos e outras partes do motor. O processo exige precisão para dar o acabamento final e fundamental para garantir a durabilidade e eficiência dos motores.

  1. Spin casting

O novo processo realizado dentro da unidade de Manaus utiliza o forno de fusão de aço e a fundição centrífuga para a fabricação da camisa do cilindro do motor. A fundição centrifugada de ferro corresponde ao processo de transformação da matéria-prima em um tubo. Essa peça é então extraída do molde, cortada e usinada. A camisa do cilindro é responsável pela passagem do pistão no motor. Utilizando essa técnica inovadora de produção, esta peça impacta tanto no rendimento do motor, quanto em relação à potência e economia de combustível.

  1. Estamparia

As peças que envolvem maior precisão e compõem os chassis das motos são estampadas em enormes prensas e soldadas por robôs. A matéria prima dos chassis é composta de chapas e tubos. O conjunto segue para a pintura de aço e recebe acabamento antes de ir para a linha de montagem da motocicleta. Sua rigidez, propriedades e dimensões são verificadas em laboratório através de teste de materiais, performance e durabilidade.

  1. Injeção plástica

Com moldes de alta tecnologia, equipamentos injetam as resinas que resultam em peças plásticas com alta resistência e qualidade de acabamento, como para-lamas e tampas laterais, que compõe o visual da motocicleta.

  1. Fabricação de assento

A Moto Honda da Amazônia é uma das poucas fábricas da Honda no mundo que possui um departamento para a produção dos assentos que compõem as motocicletas. Trata-se de um processo em que são injetadas as espumas através de moldes e a napa é cortada e moldada, dando origem ao assento das motocicletas.

  1. Solda

É fundamental para complementar a estrutura final do conjunto chassi, tanque de combustível, garfo traseiro, escapamento e outros subconjuntos. Nessa etapa, as partes são soldadas, ou seja, fixadas umas às outras, e seguem para a pintura eletrostática.

  1. Pintura

Permite o acabamento final e garante maior resistência pelo tratamento superficial dessas peças e/ou componentes. Com processos de pintura bastante diversificados e que acontecem paralelamente em diversos setores. Todos atendem rigorosamente as normas ambientais com produtos não nocivos (à base de água), estação de tratamento de efluentes e cuidados especiais no manuseio. A pintura do tanque tornou-se ainda mais eficiente, reduzindo o consumo de tinta.

  1. Motores

A produção dos motores que equipam as motocicletas é um capitulo a parte. Após a fabricação de todos os componentes do motor e recebimento das peças produzidas pelos fornecedores, todos os itens seguem para a linha de montagem, o conjunto motor e transmissão são montados, ajustados e então encaminhados para a etapa final de produção da motocicleta.

  1. Linha de montagem

Conforme os conjuntos de guidão, rodas, escapamentos, chassis, tanques e motores, entre outros, vão ficando prontos e devidamente inspecionados seguem por transportadores aéreos e terrestres para abastecer todas as linhas de montagem. O chassi é suspenso em uma esteira e cada cavalete recebe as peças e componentes que o transformarão em uma motocicleta completa.  A precisão e a rapidez nas linhas de montagem são tão grandes que, em intervalos de segundos, fica pronta uma nova motocicleta para seguir para a esteira de testes.

  1. Inspeção final

Após a realização de todos os processos de fabricação e montagem, os modelos são levados à inspeção final, onde 100% dos veículos montados são inspecionados e submetidos a testes funcionais, garantindo a qualidade final do produto Honda.

  1. Pesquisa & Desenvolvimento de Produtos

Antes de desenvolver um novo modelo, a Honda vai às ruas para conhecer o que as pessoas esperam de uma motocicleta, como pretendem usá-la, o que imaginam em termos de design, estilo, performance e ergonomia. Com essas informações em mãos, os profissionais do Centro de Desenvolvimento e Tecnologia (CDT) de Manaus dão início ao processo de desenvolvimento de um novo produto.

Além do conceito do modelo, a equipe de Engenharia realiza o detalhamento item a item de todas as peças e componentes que irão compor o veículo. Para confecção dessas peças, são desenvolvidos moldes e ferramentas para a produção. Os mesmos são testados e seguem para processamento nos equipamentos que irão executar o trabalho em cada um dos processos produtivos, como podemos ver abaixo.

  1. Processos de sinterização e fundição0

A Honda é a única fabricante do setor a realizar o processo de sinterização, que consiste em compactar um pó metálico composto de ferro, cobre, níquel e grafite para formar peças como a engrenagem que compõe o conjunto de embreagem do motor. Após a compactação, essas peças passam por um forno a 1.150ºC, onde ocorre a sinterização para que saiam prontas para a montagem na motocicleta.

Outro processo inicial importante é a fabricação de peças de alumínio. Todos os componentes utilizam ligas especiais de alumínio como matéria-prima, que são injetadas através de modernos equipamentos em moldes projetados para conformar, com alta precisão, peças como as rodas de liga leve,componentes do motor, entre outras.

  1. Processo de usinagem

Responsável pelo acabamento de componentes de alumínio fundidos e outras partes do motor. O processo exige precisão para dar o acabamento final e fundamental para garantir a durabilidade e eficiência dos motores.

  1. Spin casting

O novo processo realizado dentro da unidade de Manaus utiliza o forno de fusão de aço e a fundição centrífuga para a fabricação da camisa do cilindro do motor. A fundição centrifugada de ferro corresponde ao processo de transformação da matéria-prima em um tubo. Essa peça é então extraída do molde, cortada e usinada. A camisa do cilindro é responsável pela passagem do pistão no motor. Utilizando essa técnica inovadora de produção, esta peça impacta tanto no rendimento do motor, quanto em relação à potência e economia de combustível.

  1. Estamparia

As peças que envolvem maior precisão e compõem os chassis das motos são estampadas em enormes prensas e soldadas por robôs. A matéria prima dos chassis é composta de chapas e tubos. O conjunto segue para a pintura de aço e recebe acabamento antes de ir para a linha de montagem da motocicleta. Sua rigidez, propriedades e dimensões são verificadas em laboratório através de teste de materiais, performance e durabilidade.

  1. Injeção plástica

Com moldes de alta tecnologia, equipamentos injetam as resinas que resultam em peças plásticas com alta resistência e qualidade de acabamento, como para-lamas e tampas laterais, que compõe o visual da motocicleta.

  1. Fabricação de assento

A Moto Honda da Amazônia é uma das poucas fábricas da Honda no mundo que possui um departamento para a produção dos assentos que compõem as motocicletas. Trata-se de um processo em que são injetadas as espumas através de moldes e a napa é cortada e moldada, dando origem ao assento das motocicletas.

  1. Solda

É fundamental para complementar a estrutura final do conjunto chassi, tanque de combustível, garfo traseiro, escapamento e outros subconjuntos. Nessa etapa, as partes são soldadas, ou seja, fixadas umas às outras, e seguem para a pintura eletrostática.

  1. Pintura

Permite o acabamento final e garante maior resistência pelo tratamento superficial dessas peças e/ou componentes. Com processos de pintura bastante diversificados e que acontecem paralelamente em diversos setores. Todos atendem rigorosamente as normas ambientais com produtos não nocivos (à base de água), estação de tratamento de efluentes e cuidados especiais no manuseio. A pintura do tanque tornou-se ainda mais eficiente, reduzindo o consumo de tinta.

  1. Motores

A produção dos motores que equipam as motocicletas é um capitulo a parte. Após a fabricação de todos os componentes do motor e recebimento das peças produzidas pelos fornecedores, todos os itens seguem para a linha de montagem, o conjunto motor e transmissão são montados, ajustados e então encaminhados para a etapa final de produção da motocicleta.

  1. Linha de montagem

Conforme os conjuntos de guidão, rodas, escapamentos, chassis, tanques e motores, entre outros, vão ficando prontos e devidamente inspecionados seguem por transportadores aéreos e terrestres para abastecer todas as linhas de montagem. O chassi é suspenso em uma esteira e cada cavalete recebe as peças e componentes que o transformarão em uma motocicleta completa.  A precisão e a rapidez nas linhas de montagem são tão grandes que, em intervalos de segundos, fica pronta uma nova motocicleta para seguir para a esteira de testes.

  1. Inspeção final

Após a realização de todos os processos de fabricação e montagem, os modelos são levados à inspeção final, onde 100% dos veículos montados são inspecionados e submetidos a testes funcionais, garantindo a qualidade final do produto Honda.

Publicidade
Publicidade