Sexta-feira, 13 de Dezembro de 2019
Guerra sangrenta

Em uma semana, mais de 20 pessoas são assassinadas em Manaus

De acordo com o delegado da DEHS, Juan Valério, um trabalho de inteligência está sendo realizado para identificar os autores dos crimes



homicidio.JPG Alex Rodrigues foi encontrado morto neste sábado no conjunto Shangrilá (Gilson Mello/Freelancer)
05/03/2017 às 06:00

Em uma semana, pelos menos 26 pessoas foram mortas violentamente em Manaus. A maioria das vítimas tinham entre 22 e 30 anos, onde 15 delas foram assassinadas a tiros, e as demais por armas brancas, estrangulamento e agressão física. 

O delegado da Delegacia Especializada em Homicídios em Sequestros (DEHS), Juan Valério, afirmou que parte dessas mortes foram motivadas por brigas entre as facções criminosas “Família do Norte” (FDN) e Primeiro Comando da Capital (PCC). Mas na Zona Sul, especificamente nos bairros Morro da Liberdade, Santa Luzia e Educandos, essa guerra sangrenta está acontecendo entre membros da mesma facção. 



“Estamos investigando o que está acontecendo naquela região, mas tudo indica que os membros da mesma facção estão se matando por causa da disputa por tráfico de drogas”, explicou ele, afirmando ainda que as investigações vão apontar quem são os mandantes das execuções. “Isso é estranho porque eles são da mesma facção e estamos investigando para saber de onde partiu a ordem das execuções”, afirmou ele.  Dessas 26 vítimas, cinco delas foram assassinadas em bairros da Zona Sul, como Educando e Morro da Liberdade.  

A DEHS também investiga a motivação das morte de cinco detentos que fugiram da cadeia pública Raimundo Vidal Pessoa, no Centro, no último sábado. Para Valério, as mortes foram ordenadas pela FDN. “A gente sabe que essas pessoas estavam ameaçadas e essa é a nossa principal linha de investigação. Mesmo assim, não vamos descartar nenhuma possibilidade e contamos com um trabalho de inteligência para elucidar todos esses casos”, destacou ele. 

Na manhã deste sábado, o assaltante Alex Rodrigues Santana foi encontrado morto no conjunto Shangrilá, no Parque Dez, na zona Centro-Sul. De acordo com a Polícia Civil, ele e outros três  comparsas teriam assaltado um grupo de trabalhadores na comunidade Parque das Garças, no Novo Aleixo. Durante a fuga, houve um tiroteio e Alex foi abandonado pelos outros criminosos. Um deles teria ficado feriado, mas ainda não foi localizado pela 
polícia. 

Na noite de sexta-feira, a DEHS registrou ainda duas mortes sangrentas nas zonas Leste e Norte da cidade. O empresário Wesleylton Santos de Souza, 29, foi assassinado dentro do estabelecimento comercial dele, no bairro Tancredo Neves, na Zona Leste. Homens encapuzados invadiram o comércio e atiraram contra a vítima. 

Eles não anunciaram nenhum assalto, o que  pode caracterizar  uma execução. A segunda vítima, Wenderson Júnior de Melo Silva, 22, foi morta em frente a um bar, na rua Dr. Oliveira Machado, no Núcleo 10 do bairro Cidade.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.