Sábado, 24 de Agosto de 2019
Folia

Escolas de Samba lançam sambas-enredos para o Carnaval 2017, em Manaus

De acordo com a Ceesma, a festa vai contar com muita criatividade, apesar da crise econômica



carnaval_2016.jpg Escolas de sambas começam a "acertar o passo" para uma das maiores festas populares do País. (Arquivo A Crítica)
04/12/2016 às 05:05

Faltando pouco mais de dois meses  para uma das maiores festas do País, em Manaus, as oito escolas de samba  do grupo especial começam a “acertar o passo” para realizar um dos mais belos carnavais da capital.

De acordo com o presidente da  Comissão Executiva das Escolas de Samba de Manaus (Ceesma), Jairo Beira-Mar, o desfile do grupo especial será no dia 25 de fevereiro, no Sambódromo, e promete ser um dos mais criativos, apesar da  falta de recursos das agremiações. Os trabalhos iniciaram e devem ficar mais intensos a partir de janeiro.

Um dos primeiros passos dados foi o lançamento oficial do CD Carnaval 2017, ocorrido na última sexta-feira, no Almirante All, no Santo Antônio, na Zona Oeste. “O evento marca a apresentação do samba-enredo de todas as escolas para 2017. Todas elas fizeram a sua parte, logo após o carnaval deste ano, e agora estamos na expectativa para conseguir apoio cultural.  Estamos na fase de desenhar os protótipos e até janeiro, as escolas devem apresentar seu projetos para o desfile”, explicou ele.

O presidente, que assumiu o posto em abril deste ano, informou que  alguns quesitos do estatuto foram modificados para entrarem em vigor a partir de 2017. “Um das principais mudanças é o fim do empate. Criamos vários critérios para o desempate, para que não haja empate, nem que vá para a pedra maior. Então, não vamos mais ter duas escolas campeãs”, afirmou Beira-Mar. Em 2017 as escolas também poderão desfilar com até três carros alegóricos.

Criatividade

Diante da crise econômica, o presidente da Ceesma também acredita que todas as escolas vão ter que “abusar” da criatividade para realizar um Carnaval de alto nível. “Como ainda não temos aceno de apoio cultural, vamos ter que mudar nossa forma de trabalhar. Os artistas vão ter que usar de muito criatividade, usando materiais reciclados, descartaveis, mas que tenhamos um produto de qualidade de bonito de ser ver. O que não podemos é deixar o padrão cair”, destacou Beira-Mar.

“A superação é a palavra-chave do Carnaval 2017. E é com essa superação em fazer um Carnaval diferente, mas bonito, que estamos em busca de criar um novo modelo para a festa que cada vez mais caminha para a privatização”, explicou.

 Enredos

A atual campeã do Carnaval de Manaus, a Reino Unido da Liberdade, vem em 2017 com o enredo "No Reino das fontes de vida, o Morro em movimento sustentável faz a diferença", fazendo alusão à importância da sustentabilidade e preservação do meio ambiente.

A Mocidade Independente de Aparecida vai falar dos 300 anos da aparição da imagem milagrosa de Nossa Senhora Aparecida, nas águas do Rio Paraíba do Sul, no interior Paulista, em 1717, com o enredo “Gratia plena, Aparecida! 300 Anos no Coração do Brasil".

Já a Grande Família vai apostar nos 36 anos do bairro São José, na Zona Leste, e nos 30 anos da agremiação para defender o enredo “Grandes sonhos, Grande Família, Grande Circular... Meu São José, fonte viva de histórias e cultura popular”.

Já a agremiação Sem Compromisso traz o enredo “Eu tenho pra vender... Quem quer comprar?”.

A Andanças de Cigano vai celebrar os deuses como o samba-enredo “Na festa dos Deuses  os Ciganos fazem o Carnaval”, enquanto a Vitória Regia traz o samba “Olhos vendados, mãos firmes: a verde e rosa clama por justiça”. A Unidos da Alvorada vai homenagear o nordeste brasileiro com o enredo: “Meu ‘Padim’... Abençoai esse povo guerreiro filhos do chão rachado do nordeste brasileiro” e a Vila da Barra com “Do proíbido ao Sagrado: com a Vila desfrute o sabor do pecado”.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.