Publicidade
Manaus
SÍMBOLO

Fim de uma era nas águas do rio Negro: balsa Boto Navegador 1 vai a leilão

Embarcação símbolo de uma época, que por 20 anos fez a travessia para o Cacau-Pirêra, saiu do patrimônio do Estado 19/03/2017 às 05:00
Show boto 1
Além da balsa, vários outros bens foram leiloados neste sábado, pela Secretaria de Estado da Administração (Sead). (Clóvis Miranda)
Kelly Melo Manaus (AM)

Símbolo de uma época em que a travessia do rio Negro era feita por embarcações, a balsa Boto Navegador 1, saiu de linha definitiva após ter sido levada a leilão, neste sábado (18). No ano passado, a Boto Navegador 2 também foi leiloada, após passar quase cinco anos sem reparos e coberta por ferrugem no porto São Raimundo, na Zona Oeste da capital. 

Por mais de 20 anos, as balsas Boto Navegador 1 e 2, que homenageavam  o ex-governador  Gilberto Mestrinho, transportaram milhares de pessoas e veículos de Manaus para  o Cacau Pirêra (distrito de Iranduba). Mas desde a inauguração da  ponte Philippe Daou (Rio Negro), na Compensa, na Zona Oeste, a utilidade delas se tornou obsoleta  e nos últimos cinco anos elas ficaram “esquecidas” na margem do rio.  Algumas promessas de revitalização chegaram a ser feitas, mas nunca saíram do papel. Resultado: o patrimônio público foi se deteriorando debaixo de sol e chuva.

O motorista Alcinei Xavier, 55, lembra como eram as viagens nas duas balsas. “Elas eram as maiores e as mais rápidas. A travessia demorava cerca de 40 minutos e as filas de carros para entrar em uma delas ficam imensas. Todo mundo queria ir nelas porque eram mais rápidas”, lembra ele. 


Foto: Clovis Miranda

De acordo com o secretário de Administração (Sead), Sílvio Romano, levar a balsa à leilão é uma forma de diminuir despesas  e arrecadar recurso com o patrimônio público, já que a embarcação foi considerada inservível, pela condição que a estrutura dela apresenta. 

A leiloeira Priscila Menezes afirmou que a Boto Navegador 1 não possui mais o maquinário e apenas a estrutura se manteve durante os últimos. “Algumas pessoas interessadas em arrematar essa embarcação pensam em utilizar a balsa para fazer algum tipo de estabelecimento flutuante. Isso seria uma forma de restaurar e dar uma outra utilidade a um bem que para o estado pode ser considerado inservível”, explicou ela. 

Leilões trimestrais

Ainda de acordo com a Sead, o objetivo é que a cada três ou quatro meses um leilão de bens do estado seja realizado. No último, aproximadamente R$ 600 mil foram arrecadados. A Sead tem ainda um projeto para  fazer um levantamento dos bens públicos que possuem um valor histórico. A proposta é reunir esses objetos em uma espécie de “museu da administração”.

Carro tumba e viaturas da PM

Além da balsa Boto Navegador 1, vários outros veículos constam do leilão deste final de semana. Foram disponibilizados mais de 120 lotes com bens diversos. A maioria deles eram de veículos do Estado que perderam a utilidade, como carros das Polícia Militar e Civil e até do Corpo de Bombeiros. Uma viatura do Instituto Médico Legal (IML), usada na remoção de corpos, também está na lista do  leilão.


Foto: Antônio Lima

Publicidade
Publicidade