Sexta-feira, 24 de Maio de 2019
Câmara Municipal

Profissão lucrativa: vereadores têm aumento de patrimônio de até 1.070% em quatro anos

22 parlamentares conseguiram ampliar seus bens após mandato de quatro anos. O destaque é Gilmar Nascimento, que saiu de R$ 35 mil em posses para R$ 410 mil.



cmm_passada.jpg
Gilmar Nascimento,Everaldo Farias, Marcel Alexandre e Therezinha Ruiz encabeçam a lista dos vereadores mais prósperos da CMM na última legislatura.
29/01/2017 às 06:28

Na última legislatura da Câmara Municipal de Manaus – de 2013 a 2016, vinte e dois dos 41 vereadores aumentaram o patrimônio deles em até 1.070%. Dos que conseguiram elevar o rol de bens, dez não conquistaram a reeleição. Um deles é Gilmar Nascimento (PSD), no topo do ranking, o político saltou de R$ 35 mil, declarados em 2013, para R$ 410,4 mil em bens, no final do mandato.  

O levantamento feito pela reportagem de A CRÍTICA tem como base a lista de declarações de bens dos parlamentares dos anos de 2012 e 2016 publicadas respectivamente nas edições do Diário Oficial da CMM dos dias 31 de janeiro de 2013 e 11 de janeiro de 2017. 

Pela declaração de bens, Gilmar Nascimento, trocou um caminhão da marca Volkswagem, no valor de R$ 35 mil, único veículo  antes de ser vereador, por uma Ford Ranger XLS, no valor de R$ 60 mil, e um Corolla GLI Flex, no valor de R$ 60 mil. O ex-vereador que não possuía residência em seu nome, agora é dono de um apartamento no residencial Smile – Village Passeio Mindu, localizado no bairro Parque Dez, no valor de R$ 310,4 mil. Nascimento explica que o imóvel pertencente à esposa dele, sendo legítimo incluí-lo na declaração de bens e que “não há nenhum crescimento exorbitante” em seu patrimônio.

Gilmar é advogado, foi eleito em 2012 pelo PDT. Em abril de 2015 trocou o mandato de vereador pelo cargo de secretário Municipal de Administração, Planejamento e Gestão (Semad). Em abril de 2016, por força do calendário eleitoral, teve que entregar o cargo para concorrer à reeleição. Em maio do mesmo ano, o então vereador trocou o PDT pelo PSD.

Mandatos prósperos

O segundo na lista que apresentou maior variação entre os 22 vereadores é Everaldo Farias (PV), que também não foi reeleito. Antes proprietário de apenas um lote de terras, no bairro Mauazinho, no valor de R$ 100 mil, Everaldo hoje possui além do terreno, uma casa no residencial Nascente do Tarumã, localizado no bairro Tarumã, no valor de R$ 240 mil e um veículo modelo Ford Ranger XLT, no valor de R$ 90 mil.

O vereador Marcel Alexandre (PMDB) conseguiu aumentar a lista de bens em 324%, pulando de R$ 145,3 mil em 2012 para R$ 616,4 mil em 2016. Entre as mudanças, destaca-se a casa no conjunto residencial Efrain, que em 2012 foi avaliada pelo político em R$ 38,7 mil e em 2016 passou a valer R$ 191,8 mil, um aumento de 395,6%.

 Na lista de parlamentares reeleitos, Therezinha Ruiz (DEM), que em 2012 declarou possuir R$ 469,9 mil em bens, em 2016 se tornou milionária, com R$ 1,8 milhão em imóveis. Entre os imóveis da vereadora está um apartamento na rua Pará, bairro Nossa Senhora das Graças, no valor de R$ 750 mil e um outro apartamento no Up Side Condominium Club, em São Paulo, no valor de R$ 282 mil.
 Ednailson Rozenha, que optou por não disputar a reeleição para vereador, quase triplicou seus patrimônios, de R$ 105 mil para R$ 380 mil em quatro anos. Na lista de bens declarados em 2016, chama a atenção R$ 355 mil em espécie, que o político não possuía em 2012.
Felipe Souza, que neste novo mandato é vice-presidente da CMM, declarou possuir em 2012 em bens R$ 259,2 e em 2016 subiu o valor para R$ 730,6, registrando uma variação em quatro anos de 181,9%.
Joãozinho Miranda, também do PTN, que não conquistou a reeleição, quando entrou na CMM em 2013 declarou possuir R$ 52 mil em bens, entre eles, equipamento de som completo para shows musicais, no valor de R$ 20 mil, e ao sair do parlamento possuía R$ 127,9 mil.
 Em seu segundo mandato como vereador, Reizo Castelo Branco (PTB), declarou em 2012 possuir R$ 534 mil em bens e em 2016 afirmou na lista de bens ser milionário, com R$ 1,1 milhão em patrimônio. Entre os imóveis estão dois apartamentos, um terreno e uma chácara, além de ter cota na empresa Castelo Construção, Serviços e Locação de Equipamentos Ltda, no valor de R$ 180 mil.

Saiba mais - Evolução patrimonial 
Outros 14 vereadores registraram evolução patrimonial. Seis deles não foram reeleitos, são eles: Alonso Oliveira (PTN), Amauri Colares (PRB), Luis Mitoso, Luiz Carijó (PSDB), Waldemir José (PT) e Sildomar Abtibol (Pros). Outros oito vereadores, que conquistaram mais quatro anos de mandato, podem se considerar mais que satisfeitos com o período de 2013 a 2016, são eles: Professor Samuel (PHS), Roberto Sabino (Pros), Rosivaldo Cordovil (PTN), Elias Emanuel (PSDB), Marcelo Serafim (PSB), Wilker Barreto (PHS), Plínio Valério (PSDB) e Professora Jacqueline (PHS).

Seis vereadores saíram do zero

Tendo declarado em 2013 não possuir nenhum centavo em seu nome, em quatro anos o vereador reeleito Hiram Nicolau (PSD) é agora um milionário. Em sua declaração de bens de 2016, o político afirmou possuir uma casa doada pela empresa Samel, cujo dono é seu pai, o médico Luis Fernando Nicolau, no valor de R$ 1,1 milhão e ainda um terreno no valor de R$ 115 mil.


Outros cinco vereadores também declararam não possuir bens em seus nomes em 2012 e agora saíram do zero: Walfran Torres (PTN), David Reis (Pros), Ceará do Santa Etelvina (DEM), Joelson Silva (PSC) e Júnior Ribeiro (PTN). Destes, somente Joelson foi reeleito.
 Vilma Queiroz (PHS), que não foi reeleita, declarou em 2012 possuir um automóvel, modelo Corolla, mas não especificou o valor. Em 2016 a ex-vereador afirmou  ter um automóvel modelo L-200 no valor de R$ 106 mil como único bem em seu nome. Procurada pela reportagem no telefone 988xxxx81, mas não atendeu as ligações. 
Rosi Matos (PT), não reeleita, foi a única que declarou ter entrado e saído do parlamento sem nenhum imóvel em seu nome. A vereadora reeleita Glória Carratte (PRP) declarou somente o mesmo bem declarado em 2012, um automóvel  de R$ 38 mil.

Parlamentares que empobreceram

Nove vereadores, sendo dois reeleitos para essa nova legislatura, afirmaram, de acordo com as declarações de bens, terem empobrecido nos quatro anos de mandato. No topo da lista está Massami Miki (PSL), que não foi reeleito e é o mais rico da legislatura passada.
Massami afirma que a lista de bens diminuiu R$ 57 mil, caindo de R$ 1.985.159,45, em 2012, para R$ 1.928.047,24, em 2016.
Os vereadores Professor Bibiano (PT), Socorro Sampaio (PP), Arlindo Júnior (Pros), Francisco Jornada (PSD), Jairo da Vical (Pros), Mario Frota (PHS) também declararam ter diminuído o volume de bens nos quatro anos de mandato. Os seis não foram reeleitos.
O vereador Isaac Tayah (PSDC), reeleito para mais um mandato, afirma ser o que mais diminuiu a lista de bens de 2013 a 2016. O político em 2012 declarou R$ 95,6 mil em bens e agora disse possuir R$ 11,1 mil, registrando uma queda de R$ 88,4%. 
Em 2012 Tayah declarou possuir automóvel no valor de R$ 90 mil, cotas empresariais no valor de R$ 18 mil, participação societária de R$ 7,4 mil. Hoje o vereador afirma possuir somente R$ 11,1 de cotas de capital da Unimed.

Personagem: Ex-vereador e Empresário - Massami  Miki
Massami Miki tem o maior patrimônio declarado


Massami Miki (PSL), em números absolutos, é o vereador mais rico da Câmara Municipal de Manaus (CMM), no último mandato. O patrimônio declarado do parlamentar este ano é de R$ 1,9 milhão.
“Trabalho desde os 15 anos, comecei como feirante, estudei, fui professor, servi ao Exército, depois trabalhei na Suframa, por meio de uma empresa terceirizada, e sempre paralelo aos meus mandatos na CMM, mantive minhas empresas. E tenho uma parcela fruto de herança da família. Então tudo é resultado do meu trabalho”, explicou. 
Massami é empresário, e tem formação em Direito e Agronomia. E disse ter uma empresa de comunicação e assessoramento. 
Após cinco mandatos, o político afirma que “o povo não me quis mais” e que está repensando a sua carreira política. Hoje vice-presidente municipal do PSL, o ex-vereador  afirma que irá buscar o conselho de aliados para decidir seu futuro político e que até março deve tomar uma decisão. 
“Apesar de estar sem mandato estou atento a tudo, a política municipal, estadual, nacional e principalmente a internacional”, concluiu Massami.

Em números
 7 É o número de vereadores milionários na CMM. Massami Miki tem R$ 1,9 mi, Therezinha Ruiz tem R$ 1,8 mi, Wilker Barreto tem R$ 1,4 mi, Plínio Valério e Hiram Nicolau possuem R$ 1,2 mi, cada, Reizo tem R$ 1,1 mi e Marcelo Serafim declarou um milhão em bens.
20,5 Milhões.  É o valor dos bens declarados pelos vereadores da última legislatura da Câmara Municipal de Manaus (CMM). Entre os imóveis estão lanchas, dinheiro em espécie, casa de mais de um milhão, cotas empresarias, terrenos, veículos de luxo, entre outros.


 

 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.