Publicidade
Manaus
DUPLO HOMICÍDIO

DPE pede liberdade de tenente preso por matar a tiros colegas de farda em Manaus

O órgão solicitou a troca da prisão preventiva pelo afastamento do tenente de suas funções, além de série de medidas cautelares 06/01/2019 às 20:22 - Atualizado em 06/01/2019 às 20:56
Show policia 42f84fe9 7b88 43d5 a2e0 f49be8b08431
Foto: Jander Robson
acritica.com Manaus - AM

A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) pediu na tarde deste domingo (6) a liberdade do tenente da Polícia Militar Joselito Pessoa Anselmo, preso acusado de assassinar dois colegas de farda dele a tiros em Manaus na madrugada do último sábado (5). As informações foram confirmadas pelo defensor Maurílio Maia. 

De acordo com Maurílio, o pedido solicita ainda o afastamento de Joselito das funções policiais, a suspensão do porte de armas dele e uma série de medidas cautelares como a proibição da presença do tenente em bares ou casas noturnas. Todo o pedido da DPE deve ser analisado a partir desta segunda-feira (7).

Maurílio ressaltou que a Defensoria Pública está atendendo as famílias de ambas as partes através de atendimento jurídico e psicológico, caso necessitem.  

Entenda o caso

Na manhã de sábado (5), o sargento Edizandro Santos Louzada, 30, e o cabo Grasiano Monte Negreiros, 36, foram assassinados a tiros pelo tenente Joselito Pessoa Anselmo dentro de uma viatura descaracterizada da PM. Outras duas pessoas, um major e borracheiro, que também estavam no carro, foram baleadas, mas sobreviveram. Todos eles voltavam de uma festa.

Segundo a polícia, a viatura da PM era conduzida por Grasiano, que levou um tiro na nuca e acabou capotando o carro. Edizandro foi alvejado na cabeça, Ludernilson levou tiro no ombro esquerdo e Robson na mão. Garrafas de bebidas alcoólicas foram encontradas pela polícia no interior do veículo. 

Joselito foi preso em flagrante, passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e teve a prisão preventiva decretada na tarde de sábado (5).

Publicidade
Publicidade