Publicidade
Manaus
900 KG

Droga encontrada enterrada em Iranduba valia R$ 20 milhões, diz polícia

Apreensão de 900 kg de cocaína é a maior registrada no Amazonas. Suspeitos foram presos 31/10/2017 às 10:53 - Atualizado em 31/10/2017 às 11:32
Dani Brito Manaus (AM)

Aproximadamente 900 quilos de cocaína foram apreendidos na manhã dessa segunda-feira (30), na ilha da Marchantaria, na Zona Rural do município de Iranduba, a 27 quilômetros de Manaus. A quantidade é um recorde entre todas as apreensões da Polícia Civil no Amazonas e está avaliada em mais de R$ 20 milhões.

Na ocasião duas pessoas, sendo um pescador peruano identificado como Pedro Dias Oraco, 42, e o brasileiro Zimar Albino Dantas, 32, foram presos. De acordo com o delegado do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), Paulo Mavignier, a droga é oriunda do Peru e chegou à ilha na madrugada do último domingo (29).

Segundo o delegado, a abordagem aos infratores ocorreu no meio do Rio Solimões. "Estávamos investigando esta situação e identificamos a lancha na qual os infratores estavam. Na abordagem foram encontrados 10 tabletes de cocaína escondidas no porão da embarcação. Diante disto os dois nos indicaram onde havia mais substâncias", destacou. Os outros tabletes de cocaína foram encontrados enterrados na ilha.

Operação Tarrafa

A ação faz parte da operação "Tarrafa", que visa a apreensão de drogas antes que as mesmas sejam desembarcadas em Manaus. De acordo com o secretário-executivo adjunto de Inteligência (Seai), Herbert Lopes, as apreensões e prisões de ontem foram uma consequência do trabalho investigativo que vem sendo feito.

"Fomos ao bote certo. Já temos algumas informações que nos ajudam a identificar em quais embarcações estas drogas estão sendo trazidas para Manaus. Acredito que parte iria abastecer bocas de fumo da cidade e outra parte iria ser levada para fora do Estado", disse.

Os dois presos foram autuados por tráfico de drogas e associação para o tráfico de drogas. À reportagem, o peruano Pedro disse que foi recrutado por uma pessoa enquanto estava pescando. "Eu estava no rio pescando, quando um homem veio e me ofereceu R$ 10 mil para eu transportar a droga até aqui. Não cheguei a receber o dinheiro e também não sei quem iria receber", disse.

Publicidade
Publicidade