Sábado, 20 de Julho de 2019
INVESTIMENTOS

Duplicação de adutora vai beneficiar um milhão de moradores na capital

De acordo com a Águas de Manaus, a capacidade de transporte de água aumentará em 22% com a duplicação, fazendo a água chegar aos reservatórios com maior rapidez



WhatsApp_Image_2019-01-02_at_11.30.16__1__C1EB71AF-B838-475A-9CA9-E1C1FE14E605.jpeg
02/01/2019 às 16:57

A Águas de Manaus está duplicando um trecho de três quilômetros de uma adutora de 800mm que sai do Complexo de Produção da Ponta do Ismael, na Compensa – onde 70% da água fornecida para a cidade é captada e tratada – e vai até o centro de reservação do Alvorada, localizado na rua Paris, conjunto Campos Elíseos, zona Oeste.

 Os trabalhos começaram na primeira semana de dezembro, nas ruas Rua Lisboa e Avenida K, no Campos Elíseos.  A obra vai trazer uma série de benefícios para aproximadamente um milhão de moradores da capital amazonense. A capacidade de transporte de água, segundo a empresa, aumentará em 22% com a duplicação, fazendo a água chegar aos reservatórios com maior rapidez. Isso ajudará a elevar o estoque nas unidades. Assim, no caso do fornecimento ser interrompido de forma emergencial, haverá menor possibilidade de o reservatório secar e a população ficar desabastecida.

 As novas adutoras também vão facilitar os trabalhos de manutenção, que são realizados pela concessionária para melhorar a eficiência do sistema. Quando houver a necessidade de manutenção em um trecho da tubulação, a outra adutora pode seguir operando, sem precisar interromper o fornecimento de água para a região abrangida pelos trabalhos.

“Estamos ampliando a capacidade de transporte de água. Com isso, consigo ter maior disponibilidade de água nos locais que ficam mais distantes dos pontos de produção, que são as nossas estações de tratamento e poços. Entregar essa água com rapidez nas regiões mais afastadas reduz uma série de questões no abastecimento. Este é o grande benefício desta obra”, explicou o diretor executivo da Águas de Manaus, Luiz Couto.  Outro ponto positivo da obra será a redução da velocidade de fluido e vibração dentro das tubulações. Isso diminui as possibilidades de rompimento das adutoras.

A primeira fase da obra foca na duplicação de 1.890 metros de tubulação. A segunda etapa, que começará ainda neste mês de janeiro, prevê a implantação de mais 859 metros de rede. “Já assentamos mais de 30 tubos. A previsão é que esse trecho esteja concluído no primeiro trimestre de 2019. São obras complexas, afinal, são tubulações de grande diâmetro, em escavações profundas. Estamos tomando todo cuidado necessário na região, sinalizando tudo com segurança para os pedestres, moradores e o trânsito na área”, completou o diretor executivo Luiz Couto.

O presidente da Associação de Moradores do bairro do Alvorada, Nei Araújo, esteve na Avenida K acompanhando as obras, que continuam em ritmo acelerado apesar do período chuvoso nesta época do ano. Para Araújo, o serviço altera a rotina dos moradores temporariamente, mas os benefícios serão permanentes. “É algo que há muito tempo nós necessitávamos e vem em boa hora, como um presente para o bairro que completa 50 anos agora em dezembro. As obras vão nos beneficiar ainda mais. Nós só temos a ganhar”, afirmou o representante dos moradores do Alvorada.

Investimentos no abastecimento

Hoje, Manaus possui 98% de abastecimento de água, com benefício direto a 2 milhões de pessoas. Mais de 630 milhões de litros de água são captados diariamente do rio Negro e tratados sob um rígido controle de qualidade. A Águas de Manaus pretende melhorar os serviços de abastecimento em todas as zonas da cidade ao longo de 2019, investindo na manutenção e ampliação das redes de água. Cerca de 18 mil metros de novas redes serão construídos no próximo ano. Outros 19 mil metros de tubulações já existentes serão substituídos. A concessionária também projeta trocar 85 mil hidrômetros que já estejam com a vida útil expirada pela cidade.

 A Águas de Manaus ainda trabalha na construção de cinco novos reservatórios de água nos bairros da Compensa (zona Oeste), Jorge Teixeira (zona Leste), Cidade Nova (zona Norte), Cidade de Deus (Zona Norte) e Colônia Santo Antônio (Zona Norte). Eles serão entregues no primeiro semestre do ano. Juntos, as novas unidades aumentam a capacidade de reserva de água na cidade em aproximadamente 20 milhões de litros (volume correspondente ao de 40 mil caixas d’água de 500 litros), beneficiando 450 mil pessoas em Manaus.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.