Publicidade
Manaus
DOE SANGUE

É crítico o estoque de bolsas de sangue da Fundação Hemoam para o início do ano

Objetivo é evitar um colapso no sistema. Praticamente todos os tipos sanguíneos estão abaixo do considerado aceitável. Veja como doar 08/01/2018 às 07:05
Show show hemoam2
O guarda municipal Isaac Sampaio fez sua boa ação doando sangue (Fotos: Jair Araújo)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

É crítico o estoque de bolsas de sangue da Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam) para este começo do ano, com sete dos oito grupos sanguíneos estando abaixo dos números mínimos aceitáveis para este período. O total de bolsas do estoque para todo o Estado era de apenas 231 unidades na última sexta-feira, dia 5, quantidade que é suficiente para apenas um dia. A situação requer tanta atenção que a fundação necessita de mil doadores voluntários até esta segunda-feira, dia 8, para normalizar o estoque de sangue.

No fator RH positivo, até a última sexta-feira, dia 5, havia um total de 133 bolsas, quando o mínimo pretendido seria de 204. No grupo sanguíneo A, existem atualmente 58 bolsas quando o aceitável seriam 78 bolsas, ou seja, 20 a menos; no B há 17 bolsas contra 39 do nível crítico; para o AB existem apenas bolsas contra 9 que seria o ideal e; para O positivo, 133 quando o melhor era ter 204 bolsas.

No fator RH negativo, só o grupo sanguíneo A tem status considerado normal: 8 existentes contra 8 aceitáveis. O grupo B positivo, por exemplo, conta com apenas 2 bolsas contra 4 pretendidas, com o AB tendo 1 só bolsa, próximo do nível limite que seria abaixo de 2. O sangue O positivo tem 6 bolsas quando o ideal seria pelo menos 18 bolsas.

O banco de dados da Fundação Hemoam conta com 376.301 doadores aptos cadastrados, mas apenas 3% desse universo doa sangue. 


Suany Patricia e sua filha Rebeca doaram pela 1ª vez

A médica hemoterapeuta Socorro Viga, chefe do departamento do Ciclo do Sangue do Hemoam, que coordena da doação à tranfusão da instituição, confirmou que a situação é crítica. “A situação é crítica, pois nessa época do ano muitas pessoas estão de férias, teve a época das festas. Geralmente, a partir de setembro e outubro nós começamos a ter crise no estoque, e isso vai até janeiro. Nosso estoque de 231 bolsas só dá para um dia de abastecimento de sangue para toda a rede pública e privada. Estamos, por exemplo, com esse estoque de A Positivo ruim desde setembro, e ainda não foi normalizado. São 20 bolsas a menos”, disse a especialista sobre risco à segurança transfusional no Estado.

“Quando começa fevereiro nós temos as doações dos (militares das Forças Armadas) conscritos e das universidades que começam a trabalhar”, ressalta ela, enfatizando que o Hemoam faz campanhas de coleta externa durante todo o ano, fora as pessoas que doam na própria instituição.


O industriário Jardson Chagas doava no Amapá e, agora, no Amazonas

“Doar é importante porque, apesar de estarmos no século 21, não há um substituto para o sangue. Se não dependermos da boa vontade das pessoas virem doar para ajudar, alguém vai morrer pela falta de sangue”, comentou a hemoterapeuta.

Apesar da situação atual, a gerente Socorro Viga ressalta que, nos cerca de 30 anos em que atua na instituição, o ano mais crítico em se tratando do estoque de sangue foi 2015, em face da recessão econômica.

Atendimento para doação

Interessados  em doar sangue podem se dirigir à sede do Hemoam, localizado na avenida Constantino Nery, que funciona em expediente normal de segunda a sábado, das 7h às 18h ou no Posto Avançado de Coleta, na Maternidade Ana Braga, localizada na Alameda Cosme Ferreira, 3958, bairro Aleixo, Zona Leste. O posto de coleta funciona de segunda a sexta, das 8h30  até 13h.

Para doar é necessário ter entre 18 e 69 anos e apresentar documento oficial de identidade com foto. Menores de idade também podem doar, desde que tenham autorização dos pais ou responsáveis. É necessário estar bem de saúde e não ter ingerido bebida alcoólica nas últimas 12 horas anteriores à doação. Não é preciso fazer jejum para doar.

Frase

"Nosso estoque de sangue é crítico. Uma bolsa de sangue pode salvar a vida de quatro pessoas” 

Socorro Viga, hemoterapeuta e chefe do Ciclo de Sangue do Hemoam


Socorro Viga, do Ciclo de Sangue da Fundação Hemoam

Blog

Rosilene Guimarães, técnica de enfermagem

"Para mim, doar sangue é um ato de amor ao próximo. Esse é o meu objetivo, porque eu sei que têm outras pessoas precisando, e eu podendo, porquê não fazer isso, não é mesmo? Doou desde 2014, quando eu tinha 21 anos. Trabalho na área de saúde e vejo a necessidade das pessoas. O estoque de sangue está crítico é mais do que necessário fazermos essa ação. Há pessoas que até mesmo não estão fazendo nenhum procedimento nos hospitais, como cirurgias de grande porte e até em nível de risco, pelo fato de não ter sangue. E não tem doadores, são poucos".


Rosilene Guimarães disse que doar é exemplo de amor

Publicidade
Publicidade