Segunda-feira, 26 de Outubro de 2020
Em luto

'É um sentimento de luto muito doloroso', diz Arlindo Neto sobre Klinger Araújo

"O que mais marca é porque hoje (29) faz nove meses do falecimento do meu pai, e hoje ele (Klinger) parte", disse Arlindo Neto, filho do cantor Arlindo Junior, o Pop da Selva



184356_p_43A879F4-C71B-42E2-ADC9-C315D4CC5CB3.jpg Foto: Reprodução/Internet
29/09/2020 às 18:00

"Só me resta amparar a família", disse Arlindo Neto após morte do cantor Klinger Araújo nesta terça-feira (29), vítima de complicações por Covid-19. Arlindo Neto é filho do cantor do Boi Caprichoso, Arlindo Jr, o POP da Selva.

"O que mais marca é porque hoje (29), faz nove meses do falecimento do meu pai, e hoje ele (Klinger) parte. Na verdade eu não tenho palavras sobre essa perda, porque o Klinger foi muito próximo de mim e da minha família. Klinger me viu crescer, me ajudou muito. É um sentimento de luto muito doloroso", disse em uma mensagem enviada à reportagem.

Furacão do Boi

A morte do levantador de toadas Klinger Araújo, aos 51 anos, confirmada na manhã desta terça-feira (29), provocou diversas manifestações de artistas e companheiros que fizeram parte da vida do Furacão do Boi e do Boi Bumbá. Vítima de complicações da Covid-19, o cantor que fez história nos bois Garantido e Caprichoso deixa, além de saudades, um importante legado na popularização do movimento de toadas do Boi Bumbá parintinense.



Por meio das suas redes socais, o boi bumbá Caprichoso, pelo qual Klinger atuou a maior parte de sua carreira como cantor de apoio e levantador de toadas, se manifestou em pesar pela perda do artista. A nota oficial do bumbá azul é assinada pelo presidente Jender Lobato.

A ascensão do cantor como levantador de toadas aconteceu em 1990, quando ele se apresentou pela primeira vez com o Boi-Bumbá Garantido. Anos depois, Klinger foi convidado para cantar no Boi-Bumbá Caprichoso, onde se firmou nas raízes folclóricas do “boi azulado”.

Seu sucesso foi tão grande que em 1996 o artista foi convidado por um grupo de empresários para divulgar a cultura do boi-bumbá pelo Brasil. As cidades de São Paulo e Rio de Janeiro foram seu destino, onde participou de vários programas como Planeta Xuxa, Ana Maria Braga, Faustão, Ratinho, entre outros. Seu trabalho também atravessou as fronteiras do país, com turnê internacional em Las Vegas, Dallas, New Orleans, New York, entre outros países.

Klinger Araújo era levantador de toadas e backing vocal do Boi-Bumbá Caprichoso, além de mestre de cerimônias de diversos eventos em Manaus. Possuia um programa digital em sua fan page chamado “Amazônia é boi bumbá”.

*Colaborou: Pedro Sousa

 

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.