Publicidade
Manaus
Manaus

Eleições: Operação 'Lei Seca' deve monitorar rodovias e estabelecimentos, no AM

Ação terá participação de diversos órgãos como as polícias Civil e Militar, Detran, Manaustrans e Arsam. Fiscalizações iniciarão a partir das 22h deste sábado (4), se estendendo até o fim da tarde de domingo (5), dia do pleito 04/10/2014 às 21:24
Show 1
Testes de bafômetro irão fazer parte de fiscalizações durante eleições
ACRITICA.COM Manaus (AM)

A partir das 22h deste sábado (4), passa a vigorar em Manaus e em alguns municípios da Região Metropolitana a operação ‘Lei Seca’, determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) para o período de eleições. A lei se estenderá até as 18h de domingo (5), após o encerramento da votação.

A ação contará com cerca 40 agentes do Departamento Estadual de Trânsito no Amazonas (Detran-AM), responsáveis por fiscalizar crimes de trânsito como embriaguez ao volante. Segundo órgão, os fiscais devem atuar principalmente em barreiras montadas nas rodovias Manoel Urbano (AM-070) e AM-010.

Além disso, estão previstas ações contra a venda de bebidas alcoólicas em estabelecimentos comerciais na capital e em municípios da Região Metropolitana como Rio Preto da Eva, Manacapuru, Presidente Figueiredo e Novo Airão.

“Estamos cumprindo uma ação preventiva, no primeiro momento, de informar sobre a proibição homologada pelo TRE do Amazonas. Após as 22 horas deste sábado a ação passa a ter caráter repressivo e quem insistir na venda ilegal será autuado de acordo com a legislação vigente”, informou o delegado geral adjunto da PC, Antônio Chicre Neto.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, servidores ficarão distribuídos em todas as zonas da capital em ação integrada com diversos órgãos, entre eles o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans), Polícia Militar (PM) e Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arsam), encarregados de fiscalizar ônibus que saem e chegam a Manaus.

As fiscalizações da Lei Seca irão incluir testes de bafômetro aos motoristas. A lei define como tolerância de álcool o valor de 0,34 mg/L e, conforme informou o órgão, a penalidade para casos que ultrapassem a marca é a suspensão da carteira por um ano, além do condutor responder pelo crime de embriaguez ao volante. 

Publicidade
Publicidade