Segunda-feira, 14 de Outubro de 2019
ENTREVISTA EXCLUSIVA

Elielton Magno detalha momentos que antecederam morte de engenheiro

Suspeito de envolvimento no atentado contra o engenheiro Flávio dos Santos conversou com Sikêra Jr momentos antes de ser preso. A entrevista foi exibida no programa Alerta Amazonas desta quinta (3)



preso_4957FB5A-B97C-42AF-A5DC-EEFCC79DFB1B.jpg Foto: Reprodução/TV A CRÍTICA
03/10/2019 às 21:16

Em entrevista exclusiva exibida na edição desta quinta-feira (3) do programa Alerta Amazonas, da TV A Crítica, Elielton Magno Júnior, um dos suspeitos de envolvimento na morte do engenheiro Flávio dos Santos, detalhou os momentos que antecederam o desaparecimento e a morte do engenheiro Flávio dos Santos, no domingo (29), na casa do filho da primeira-dama, Alejandro Valeiko. A conversa exclusiva com o apresentador Sikêra Júnior aconteceu momentos antes de Magno ser preso, ainda na TV A Crítica.

Segundo Magno, ele, que já conhecia José Edvandro, o ‘Júnior Gordo’, só conheceu Flávio e Alejandro naquela manhã de domingo, por volta das 5h, em um bar de Manaus. De lá, os quatro teriam se dirigido para a residência de Alejandro, no condomínio de luxo na Ponta Negra. “Não me lembro de ter sido convidado para a casa do Alejandro, para falar a verdade não fazia a mínima ideia de que estava na casa dele”, contou.



Durante a entrevista, Magno relata que durante todo o dia a festa na casa de Alejandro foi regada a bebidas e drogas, entre elas cocaína. Segundo ele, o fato de que ele estaria sem dinheiro e sem ter como retornar para casa, o forçou a permanecer na residência. Ele conta que em um determinado momento da noite, percebeu um homem encapuzado do lado de fora da casa.

“Quando olhei, tinha um cara através da porta já encapuzado, ele foi direto à minha direção e, calado, ergueu a cabeça e apontou uma pistola prateada no meu rosto”, diz, ao contar o momento em que supostamente dois homens encapuzados teriam chegado na residência de Alejandro.

“Fiquei sem reação, em choque. Cheguei a pensar que era uma brincadeira de mau gosto. Neste momento, corri em direção a porta, foi quando um outro homem, também encapuzado, me deu um ‘abraço de urso’ por baixo dos meus braços e furou as minhas costas. Assim que ele me furou, me largou, momento em que saí correndo em direção a guarita do condomínio”, relata.

Conforme Magno, ele só foi perceber que estava ferido no momento em que estava correndo em direção a guarita. Ao chegar ao local, recebeu ajuda de um suposto morador que estava em um carro, e aguardou a chegada de socorro.

Ele ainda relata que no momento em que estava deitado na calçada da guarita do condomínio, Alejandro Valeiko ainda chegou a ir até onde ele estava, mas não falou com ele. Momentos depois, um carro do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) conduziu Magno para o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto.

Medo

Ao ser indagado por Sikêra sobre qual seria o seu maior medo neste momento, Magno relatou temer pela vida dele e de seus familiares.

“Tenho medo que aconteça alguma coisa com a minha esposa, com a minha filha, comigo. Medo que aconteça algo com a minha família, pois geralmente é isso o que acontece”, disse.

O suspeito também relatou estar enfrentando problemas psicológicos e fisiológicos devido aos acontecimentos do caso.

“Fui um infeliz de presenciar um crime horrível. Eu não estou conseguindo dormir, nem comer. Já perdi cerca de 5 quilos e estou à base de calmante”, declarou.

Magno ainda chegou a jurar não ter envolvimento com o crime contra o engenheiro.

“Juro pela minha felicidade que não tenho nada a ver com esse crime. Diante de Deus e dos homens”.

Prisão

A prisão de Magno aconteceu ainda durante o decorrer da entrevista que ele concedia ao apresentador Sikêra Júnior, quando policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) estiveram na sede da TV A Crítica para cumprir o mandado de prisão temporária contra o suspeito.

A ação da Polícia também pegou de surpresa a equipe do programa Alerta Amazonas, inclusive para Sikêra Júnior. Segundo o apresentador, a detenção de Magno foi efetuada ainda enquanto a entrevista estava sendo realizada.

“Enquanto ele dava a entrevista, recebo a informação de que a polícia estava nas dependências da TV A Crítica. Perguntei ‘fazendo o que? ’, me responderam que havia saído o pedido de prisão provisória do Magno. Ele ficou nervoso, se tremendo e perguntando o que fazer. Apenas informei que não havia o que fazer, já que decisão judicial é para ser cumprida, não discutida”, comentou o apresentador.

Elielton Magno foi conduzido para a sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que investiga o caso em parceria com o 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), e está à disposição da Justiça.

Em breve depoimento à imprensa na DEHS, os advogados de defesa de Elielton Magno negaram que o suspeito tenha qualquer tipo de participação com o crime.

“Nosso cliente não tem nenhuma participação no que aconteceu e está disposto a colaborar com a Polícia para que tudo se resolva e que a justiça seja feita”, afirmaram.

Ainda segundo os advogados, o inquérito sobre o caso ainda não teria sido aberto para a defesa do caso.

“Nós não participamos disso de forma leviana. Agimos profissionalmente. Contudo, vale destacar que quando todos os atos processuais do caso forem abertos e possam ser concluídos, nós poderemos avançar nesse processo e dar andamento na defesa técnica do Elielton”, finalizaram os advogados.

A advogada da família de Flávio Rodrigues, Geyza Mitz, afirmou que por enquanto está se reservando de dar declarações. "A gente quer resolver, a gente quer que a Justiça seja feita. Estamos nos sentindo satisfeitos com o caminho da investigação”, se limitou a dizer.

>>> Leia mais: Delegado diz que já há provas para incriminar presos por morte de engenheiro

News pedro01 9f97d6e2 e058 4e63 8ce7 e934cf255a3d
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.