Publicidade
Manaus
ACIMA DA MÉDIA

Em 2015, Amazonas teve 12 carros roubados por dia, aponta anuário

Taxa de roubos e furtos por 100 mil veículos está acima da média nacional; Amazonas é o oitavo com maior incidência deste tipo de crime no País 03/11/2016 às 11:24 - Atualizado em 03/11/2016 às 11:54
Show carroroubado
Em números absolutos, 4.648 veículos foram alvos de ações de criminosos no Amazonas no ano passado (Foto: Euzivaldo Queiroz)
Dante Graça Manaus (AM)

Em média, 12 carros por dia foram roubados ou furtados no Amazonas no ano de 2015. de acordo com dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgados hoje pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública.  No total, 4.648 veículos foram alvos de ações de criminosos no Amazonas no ano passado,  contra 4.433 no ano anterior.

Conforme o anuário,  a cada 100 mil veículos, 584,7 foram furtados ou roubados no Amazonas em 2015. Esta taxa, levemente menor que o ano anterior - que foi de 586,6 - coloca o Estado na 8ª colocação entre as unidades federativas co maior números de roubos e furtos de veículos no País.  O maior índice é registrado no Amapá, onde são roubados ou furtados 824,3 carros a cada 100 mil.

A taxa no Amazonas está acima da média nacional, que é de 562,4 - houve redução em relação ao ano passado, quando a taxa média era de 591,7. Em números absolutos, houve redução no número de roubos e furtos de veículos no Brasil. Foram 513.023 casos em 2014 contra 509.978 em 2015.

O Amazonas, no entanto, não acompanhou a redução em nenhum dos tipos de ocorrências e números absolutos. Em roubos, foram 2.595 casos em 2014 contra 2.781 casos em 2015. Já em furtos , foram 1.838 no ano retrasado e 1.867 no ano passado.  Ao analisar as taxas, no entanto, existe uma redução  no índice de furtos por 100 mil veículos. Foram 243,2 em 2014 contra 234,9 em 2015, que é explicado pelo aumento no número da frota.

Assim como no caso das mortes violentas intencionais, no qual o Amazonas teve o maior crescimento percentual do País, o estudo apresentou uma ressalva de que “não há como atestar a qualidade dos dados informados”. O Amazonas é o único Estado com tal ressalva. A respeito disso, o titular da Secretaria de Estado da Segurança Pública, Sérgio Fontes, afirmou que houve uma diferença na metodologia.

“É um erro que não queríamos ter protagonizado. O servidor responsável pelas informações realmente teve uma divergência e não atualizou (os dados corretamente). O funcionário responsável pela estatística divergia. Foi um equívoco da Secretaria. Fizemos em uma metodologia diferente, que já foi ajustada para o próximo anuário”, explicou Fontes.

Publicidade
Publicidade