Publicidade
Manaus
em 2016

Em cinco meses, mais de 2 mil tolenadas de lixo são retiradas de igarapés de Manaus

De janeiro a maio, 2,4 mil toneladas foram retiradas dos leitos, uma média diária de 25 toneladas. Segundo a prefeitura, trabalho custa R$ 797 mil por mês e é uma das modalidades de limpeza mais caras do mundo 22/06/2016 às 16:59 - Atualizado em 22/06/2016 às 17:14
Show ghjgjgjghjgjhghj
Serviço é executado por mais de 100 trabalhadores da Semulsp (Foto: Divulgação)
acrítica.com* Manaus (AM)

O serviço de limpeza de igarapés da Prefeitura de Manaus já retirou, de janeiro a maio deste ano, 2,441 toneladas de lixo dos leitos dos igarapés da cidade, uma média diária de 25 toneladas. Esse trabalho, coordenado pela Secretaria Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp) custou R$ 797 mil por mês à Prefeitura Municipal.

Segundo o Secretário Municipal de Limpeza Urbana, Paulo Farias, esta é uma das modalidades mais caras de limpeza do mundo. “O ideal é que não precisássemos usar esse serviço, que é caro e com baixa eficiência, já que o lixo volta a se acumular nos igarapés”, comentou. Alguns leitos de rios, como o igarapé do Mindu, Passarinho, Franco, Mestre Chico e Educandos recebem equipes frequentemente, para evitar o escoamento de lixo a outras áreas.

A retirada de lixo de dentro dos igarapés obedece à programação diária coordenada pela Semulsp. Nesta quarta-feira (22) um total de 110 trabalhadores estão mobiliados na limpeza de igarapés em três áreas da zona Sul da cidade.

Os igarapés Desembargador Paulo Jacob (rua Major Gabriel, Praça 14); Mestre Chico (avenida Lourenço Braga - Cachoeirinha) e do Educandos, além da orla do São Raimundo receberam trabalhadores da Semulsp. Capinação, jardinagem, raspagem e remoção mecanizada são outros serviços envolvidos nesta atividade.

*Com informações da assessoria

Publicidade
Publicidade