Publicidade
Manaus
INDEFINIÇÃO

Em duas chapas, posição do PT será definida pela Justiça Eleitoral no Amazonas

Partido aparece nas coligações 'Renova Amazonas', de David Almeida (PSB), e 'O Povo Feliz de Novo', que tem Lúcia Antony (PC do B) na cabeça de chapa 16/08/2018 às 12:53
Show decisao pt 71755954 46be 4a92 987a 3f20b007e44f
acritica.com Manaus

Com o fim do prazo para o registro de candidaturas no Amazonas,  o Partido dos Trabalhadores (PT) aparece em duas coligações majoritárias.  A definição sobre em qual das duas a legenda será mantida caberá ao Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Na coligação 'Renova Amazonas', fruto do acordo entre as lideranças locais, o PT está ao lado do Podemos, PMN, PMB, PSB e PROS, tendo como cabeça de chapa para o Governo do Estado o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida. Nesta coligação, o PT indicou ainda o vice, Jorge Guimarães.

Já na coligação 'O Povo Feliz de Novo', o PT aparece coligado ao PC do B, obedecendo uma determinação nacional de que os dois partidos deveriam caminhar juntos. A chapa tem Lúcia Antony, médica, ex-vereadora e presidente municipal do PC do B, como candidata ao Governo do Estado.  Nesta chapa, a grande peça-chave é a senadora Vanessa Grazziotin como candidata à reeleição.  O PT nacional exigiu que a legenda local apoiasse Vanessa ao Senado, mas ela acabou ficando de fora da composição da chapa 'Renova Amazonas', o que acabou gerando o imbróglio.

Desta maneira, a questão terá que ser resolvida pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas.  Especialistas ouvidos pela reportagem sustentaram que, diante dessa situação inusitada, o juiz relator deve pedir que as duas coligações se manifestem a respeito da chapa. Somente após esse processo é que o caso deve ser levado ao Pleno do TRE-AM, que vai decidir em qual coligação o PT ficará. O Diretório Nacional do PT, inclusive, antecipando-se a esta briga jurídica, já encaminhou petição ao TRE-AM afirmando que o diretório estadual não respeitou a posição nacional, obrigando que PT e PC do B caminhem na mesma chapa.

A expectativa é que o caso seja decidido até o dia 31 de agosto, visto que a propaganda eleitoral gratuita inicia neste dia e o tempo destinado a cada coligação sofre alterações em caso de mudança entre os partidos integrantes da chapa.

Negociações

Durante o anúncio da posição do PC do B na corrida eleitoral, a senadora Vanessa Grazziotin frisou que ainda tem esperança de que o partido possa ser incluído na coligação com o PSB - o que pode acontecer até o dia 17 de setembro conforme o calendário eleitoral.  “Mas mesmo assim nós não vamos nos opor, caso eles queiram recompor aquela grande coligação. Isso não é um problema”, disse a senadora.

Mas se depender do PSB,  não há qualquer chance de uma recomposição da chapa com Vanessa. “Nossa aliança com o PT foi formalizada dentro dos prazos legais e respeitando as deliberações nacionais. Vamos aguardar à Justiça Eleitoral definir essa questão. O fato é que o PSB não apoia a senadora Vanessa assim como ela não nos apoia”, afirmou.

Publicidade
Publicidade