Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019
Manaus

Em Manaus, Amazonino Mendes termina mandato e as creches prometidas não saem do papel

Balanço da gestão de Amazonino Mendes (PDT) na prefeitura expõe promessas de campanhas que ficaram abandonadas pelo caminho



1.gif Há uma creche municipal em Manaus, dificultando a vida das mães pobres de crianças que têm que trabalhar
14/12/2012 às 11:04

No dia 31, o prefeito Amazonino Mendes (PDT) encerrará o seu mandato sem cumprir uma das suas principais promessas de campanha: solucionar o problema da falta de creches na cidade. E a educação infantil de base foi uma das armas usadas por Amazonino contra o então prefeito e candidato à reeleição Serafim Corrêa (PSB), que havia inaugurado apenas uma creche em quatro anos.

Na gestão de Amazonino, de acordo com o balanço apresentado pelo prefeito, na quarta-feira, foram feitas 60 licitações para a construção de creches pela Prefeitura de Manaus. Dessas licitações; 14 obras estariam em andamento.



Na disputa eleitoral de 2008, Amazonino Mendes prometeu a criação de mil creches solidárias onde mães de baixa renda seriam treinadas para cuidar das crianças do bairro. O prefeito atribuiu ao Ministério Público do Estado (MPE) a responsabilidade pelo projeto não ter saído do papel alegando que o órgão à época “emperrou a construção das mil creches”. Em resposta, o MPE negou a existência de um processo contra a realização dessas obras.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.