Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019
Manaus

Em Manaus, cesta básica cai 1,8% mas continua sendo a 3ª mais cara do País

Segundo dados fornecidos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o salário mínimo necessário para suprir as necessidades de um trabalhador e sua família deveria ser R$ 2.750



1.jpg Entre os 12 produtos que compõem a cesta básica, o tomate foi o que apresentou maior redução.
06/08/2013 às 16:11

Em comparação ao mês de junho deste ano, Manaus teve a sua cesta básica reduzida em 1,82%, custando agora R$ 310,52. Os dados foram fornecidos pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), o qual também aponta que no mês de junho a cesta custava R$ 316,29.

Apesar da diminuição no valor, a capital está em terceiro lugar no ranking das cestas básicas mais caras do País. A pesquisa, que é realizada em 18 cidades brasileiras, leva em consideração 12 produtos essenciais para a alimentação.

Segundo o DIEESE, as retrações mais significativas, em julho, foram registradas em Brasília (-8,86%), Florianópolis (-7,61%), Porto Alegre (-7,06%) e Goiânia (-7,00%). As menores variações ocorreram em Salvador (-0,18), Vitória (-1,55%) e Manaus (-1,82%).

Produtos                             
O tomate foi o produto que mostrou maior redução entre os meses de junho e julho, seguido da farinha, carne, café, pão, óleo e feijão. O arroz foi o produto que apresentou a maior alta, após ele vem a banana, o leite e a manteiga. O açúcar foi o único produto que não teve seu preço alterado.

Salário mínimo necessário
O salário mínimo fixado pelo governo federal é de R$ 678. Porém, o custo de uma cesta básica para o sustento de uma família de quatro pessoas (que tem como base dois adultos e duas crianças) foi calculado em R$ 931,56 durante o mês de julho.

O DIEESE leva em consideração o maior custo de itens básicos – que em dezembro foi verificado em São Paulo – e o preceito que estabelece que o menor salário pago deveria suprir as despesas de um trabalhador e sua família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

Para atender a essas necessidades, o menor salário pago deveria ser de R$2.750, aproximadamente 4 vezes mais que o salário mínimo atual.


Leia mais na versão impressa do Jornal A Crítica desta quarta-feira (7)

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.