Segunda-feira, 28 de Setembro de 2020
DOAÇÕES

Em Manaus, dentista realiza ação solidária para venezuelanos no dia do imigrante

Doutor Mike Ezequias distribuiu mais de 300 máscaras, álcool em gel e deu orientações de saúde bucal aos imigrantes que estão em situação de vulnerabilidade social próximo à bola do Coroado



3a344063-145b-41e2-b5e5-021bae90b23e_EF60B39D-36E7-4E54-9C10-35F4402D476D.jpg Foto: Divulgação
26/06/2020 às 09:41

Na manhã de ontem (25), data em que se comemora o Dia do Imigrante, o cirurgião-dentista Mike Ezequias reuniu alguns amigos para distribuir mais de 300 máscaras e álcool em gel para os venezuelanos que ficam no semáforo próximo à bola do Coroado, Zona Leste, na intenção de ajudá-los no combate e prevenção à Covid-19. Além disso, o especialista também realizou orientações sobre higiene bucal básica para as crianças, adolescentes e adultos refugiados que trabalham informalmente no local.

"Todos os dias eu passo aqui e vejo esses imigrantes venezuelanos que chegaram em nossa cidade em busca de melhores condições de vida. Eles passam o dia vendendo água, bombons, frutas, salgados, e estão tentando ganhar a vida de forma honesta. Eu sei o quanto é difícil estar longe da sua pátria e tentar sobreviver. Então, eu me sensibilizei porque muitos deles não tem condições para comprar uma máscara", declara o Dr. Mike.

Além de também ter passado pelo processo de migração, o cirurgião-dentista destaca que recentemente perdeu uma das pessoas que o ajudou logo que chegou na cidade, o que o motivou ainda mais a realizar a ação.

“Há 45 dias perdi uma pessoa muito querida para a luta contra à Covid-19. Foi uma pessoa que eu tinha como um pai, pois me abraçou e me deu um teto quando cheguei em Manaus. Para que isso não aconteça com mais pessoas e não venha ceifar mais vidas em nossa cidade, resolvi me solidarizar com nossos irmãos. Se com tudo isso nós conseguirmos salvar mais uma vida, já valeu qualquer sacrifício”, afirma o especialista.

Durante a ação, motoristas que passavam no local também receberam máscaras das mãos do Dr. Mike e apoiaram a iniciativa. “É uma ótima ação que demonstra humanidade com o próximo, haja vista que são pessoas que não tem onde morar nem tem condições para comprar os equipamentos de proteção individual, como as máscaras. Então, considero uma iniciativa muito válida”, afirmou Nilson Abreu, que passava no local no momento da ação.



Fluxo migratório

O grande número de venezuelanos em Manaus é fruto de um fluxo migratório sem precedentes, em que milhões de pessoas deixaram suas casas. Segundo dados da Polícia Federal, mais de 213 mil venezuelanos estariam no Brasil. Estima-se que entre 16 mil e 20 mil estejam no Amazonas.

A ONU estima que mais de 4,5 milhões de venezuelanos já deixaram seu país, num dos maiores movimentos populacionais da história recente da América Latina – e um dos grandes deslocamentos da atualidade.

A onda imigratória iniciou em meados de 2017, quando venezuelanos começaram a chegar na cidade e acampar na rodoviária da capital. Com a demanda cada vez mais alta, a cidade passou por processos de adaptação para receber os imigrantes, que ficam distribuídos em abrigos voluntários pela capital.

Sobre o cirurgião-dentista

Natural de São Luiz do Maranhão, na infância, Mike Ezequias Nascimento dos Santos (Dr. Mike) também passou pelo processo de migração com o pai, que buscava melhores condições de vida em outras regiões do País. Residiu em Boa Vista (RR), mas aos 16 anos Mike precisou fazer seu próprio caminho e chegou na capital amazonense com o bolso vazio e sem nenhum conhecido na cidade. Contando com o apoio de pessoas que se solidarizavam com sua situação de vulnerabilidade social, conseguiu realizar o sonho de se tornar cirurgião-dentista.  

Mike Ezequias mora em Manaus há mais de 25 anos, casado, tem 3 filhos, é também empresário, dentista, mestrando em Odontologia, bacharel em Administração e especialização em implantes dentários, bucomaxilofacial e harmonização orofacial, palestrante em congressos de Harmonização Facial pelo Brasil e faz parte do time de professores do Instituto Jammal em Brasília e do Instituto Orofacial do Amazonas (IOFAM).

Origem da data

Esta data foi criada para homenagear essas pessoas, que deixam para trás amigos e família em busca de melhores condições de vida, além de colaborarem para o crescimento do país que se destinam. Italianos, alemães, ucranianos, poloneses, africanos e japoneses foram algumas das etnias que chegaram ao Brasil, em meados do século 18 e 19, e ajudaram na colonização do país.

O dia 25 de junho foi determinado como o Dia do Imigrante através do Decreto nº 30.128, de 14 de novembro de 1957, emitido pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. Esta data foi escolhida por ser o fim das celebrações da semana da Imigração Japonesa, comemorada a partir de 18 de junho.

No calendário brasileiro, os imigrantes ainda são homenageados em duas outras datas: Dia do Imigrante Italiano (21 de fevereiro) e o Dia do Imigrante Japonês (18 de junho).

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.