Publicidade
Manaus
PREOCUPAÇÃO

Em Manaus, jornalista italiano diz que Europa está atenta a mudanças no Brasil

Paolo Moiola acompanha problemáticas ambientais e indígenas na Amazônia e diz que Europa tem preocupação com os rumos políticos no País 28/10/2018 às 15:32 - Atualizado em 28/10/2018 às 15:33
Show whatsapp image 2018 10 28 at 11.40.09 82880ca8 771f 44c6 adc9 7c193391f933
(Foto: Jair Araújo)
Paulo André Nunes Manaus

A imprensa internacional está atenta, sim, aos rumos políticos do Brasil como um dos países de destaque da América do Sul. A análise é do jornalista italiano Paolo Moiola, que está em Manaus acompanhando as eleições para duas publicações sediadas na cidade de Torino, na Itália – a “Rivista Missioni Consolata” e o diário “Il Manifesto”.

“Vejo que a grande maioria dos países da Europa está preocupado com as grandes mudanças que podem ser realizadas no Brasil, que é o maior país da América Latina; estou falando sobre a vitória do candidato Jair Bolsonaro, obviamente”, disse o jornalista italiano, que estava na manhã deste domingo no Instituto de Educação do Amazonas (IEA), uma das zonas eleitorais mais antigas e tradicionais da capital amazonense.

“Vim cobrir a eleição no Brasil, onde já estive muitas vezes em anos passados especialmente para ver as problemáticas ambientais da Amazônia e dos povos indígenas. Lido principalmente com questões sociais e ambientais, com um olho para os pobres ou pessoas empobrecidas do sistema. A revista católica pelo qual trabalho tem muitos missionários que trabalham em Boa Vista. Neste ano acompanho as eleições e depois sigo para Boa Vista encontrar com meus amigos e povos indígenas”, explica ele, que achou a movimentação da eleição calma, mas “quente”, em virtude da alta temperatura do domingo manauense.

Como jornalista profissional, Paolo Moiola realizou estudos e graduadou-se em economia política. De 1989 a 1996 ele viajou pelo Extremo Oriente, e, assim depois, pela América do Sul, onde passa, em media, dois meses por ano. Ele também colabora com diferentes revistas como “Latinoamerica”, da Itália (editada por Gianni Minà) e “Noticias Aliadas / Latinamerica Press”, de Peru).

Em 1992, após uma estadia nos Estados Unidos, publicou o livro “Quei trentini com passaporte americano” (Uct Editore, Trento). Em 1999, junto ao colega Marco Bello, foi homenageado pela Comissão Europeia com o Prémio Jornalístico Internacional “Lorenzo Natali” por reportagens realizadas no Haiti.

Ele tambem editou os ensaios “Guerra, guerras. Viaje para um mundo de conflitos e mentiras” (Editrice Emi, Bologna 2004), “O preço do mercado. Jornada à nova escravidão” (Emi, Bolonha 2006), “Mulheres para outro mundo. Histórias de mulheres protagonistas na África, no mundo islâmico, nos Balcãs e no Cáucaso, na Ásia, na América Latina, nas Nações Unidas” (Il Segno dei Gabrielli editori, San Pietro in Cariano, Verona 2008) e “Nas mãos de Golias. Direitos humanos entre o Estado e o mercado (Na Época da Rede)” (Gabrielli editori, dezembro de 2012).

Publicidade
Publicidade