VIGILANTE

Em Manaus, mais de 160 mulheres vítimas de violência recebem proteção policial

Mulheres acompanhadas pelo programa Ronda Maria da Penha podem fazer o acionamento emergencial através do 190 ou ainda por meio do aplicativo Alerta Mulher

Portal A Crítica
12/03/2020 às 13:44.
Atualizado em 10/03/2022 às 10:16

(Foto: Divulgação)

O Ronda Maria da Penha, da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), está acompanhando 162 mulheres vítimas de violência doméstica, em Manaus, que possuem medida protetiva. Além da segurança das vítimas, a unidade policial realiza visitas regulares às residências, promove palestras e cursos, e também faz a busca de pertences escondidos por antigos companheiros e efetua prisões em flagrante, nos casos necessários.

 

Realizado em parceria com a Polícia Civil, por meio das Delegacias Especializadas em Crimes contra a Mulher, a unidade policial já atendeu 1,2 mil vítimas de violência doméstica em seis anos, auxiliando as mulheres a romperem com o ciclo de violência.

 

Titular da Delegacia da Mulher do Parque Dez, a delegada Débora Mafra explica como e onde solicitar as medidas protetivas. “As vítimas de violência doméstica podem fazer a solicitação da medida protetiva através das Delegacias da Mulher ou dos 30 Distritos Integrados de Polícia (DIPs)”, enfatizou.

 

Após a expedição da medida de proteção pela Justiça, a Polícia Militar monta um cronograma de visitas para garantir a proteção e a distância dos agressores.

 

“As mulheres fazem o registro do Boletim de Ocorrência (BO), solicitam as medidas, e a gente passa a fazer esse acompanhamento, para trazer segurança e garantir que o agressor vá cumprir a medida protetiva. No caso do descumprimento, se pegarmos em flagrante, levamos para a delegacia para que seja feito o procedimento legal”, ressalta a coordenadora do Ronda Maria da Penha, tenente Adriane Oliveira.

 

Conforme Oliveira, das 162 mulheres acompanhadas atualmente, a maioria foi vítima do crime de ameaça. Uma das atendidas pelo Ronda Maria da Penha é a empregada doméstica Taiane Brasil, que defende a importância da atuação da PM.

 

“O Ronda Maria da Penha é importante para ajudar mulheres que passaram pelo mesmo problema que passei, pois me deu força. Os policiais me orientaram, me ajudaram, fizeram visitas e me acompanharam para tentar melhorar a minha situação, e melhorou”, disse.

 

Em 2019, foram emitidas 12 mil medidas protetivas para mulheres vítimas de violência doméstica, número recorde por meio das Delegacias Especializadas em Crimes Contra a Mulher (DECCM).

 

Acionamento

As mulheres acompanhadas pelo programa Ronda Maria da Penha podem fazer o acionamento emergencial através do 190 ou ainda por meio do aplicativo Alerta Mulher.

“Caso a vítima não tenha feito o Boletim, não tenha solicitado as medidas, nós vamos encaminhá-la para a rede de atendimentos e dar toda a orientação necessária. É só nos procurar que daremos todo o amparo, todo o direcionamento”, enfatizou a tenente Adriane Oliveira.

*Com informações da assessoria

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
© Copyright 2022Portal A Crítica.Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por
Distribuído por