Publicidade
Manaus
Fila de emprego

Em Manaus, Mulheres ‘enfrentam’ homens em disputa por vagas na construção civil

Desempregados madrugam em busca de uma vaga de trabalho; vagas são oferecidas por ONG para a construção de casas populares 02/08/2016 às 15:12
Show foto1
Há dois dias, desempregados madrugam em frente à sede do Movimento Amigos da Zona Norte, localizado na Avenida Roxana Bonessi, bairro Monte das Oliveiras (Foto: André Alves)
André Alves

Francilene Calderas, 37, tem quatro filhos para sustentar. Há seis meses ela não consegue um emprego fixo. Faz bico semanalmente “em casa de família” para conseguir bancar, sozinha, um quarteto de 4, 7, 12 e 17 anos. Por conta disso, topou aprender o ofício de auxiliar de pedreiro para não perder oportunidades de trabalho. 

“Sei rejuntar, aplicar silicone, um pouco de tudo. A gente tem que a prender, né (sic). Não tem aquilo de “não vou fazer”. Você está ali pra aprender. Porque a gente que é mãe é submissa a tudo. Mãe, pai, tem que fazer tudo pra segurar o emprego, pra sustentar a família”, diz ela.

Nesta terça-feira (2), Francilene se juntou a outras mulheres, em uma fila formada em sua maioria por homens, para tentar uma vaga de emprego na área da construção civil. A oportunidade de trabalho é dada pelo Movimento Amigos da Zona Norte (Mazon), uma organização social que está selecionando currículos para a obra de um residencial voltado a famílias de baixa renda.

Há dois dias, desempregados madrugam em frente à sede do Movimento Amigos da Zona Norte, localizado na Avenida Roxana Bonessi, bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus, a fim de entregar currículos e conseguir uma vaga na construção.

“Ontem (segunda) tivemos mais de mil pessoas procurando. A gente até se surpreendeu. Não sabíamos que haveria essa procura tão grande. Não imaginamos que havia tanta gente necessitada de trabalho. Eles estão aí desde 1h da madrugada”, comentou Nízia Sato, que faz parte da direção do Movimento Amigos da Zona Norte.

“Qualquer serviço eu aceito. Não consigo emprego há três anos”, disse um dos candidatos à vaga, sem saber a que posto estava concorrendo. “A gente está precisando. Ainda mais que lá em casa eu e meu marido estamos desempregados. Tenho uma filha para criar”, afirmou Maria Claudenira, 34.

Obra

O Movimento Amigos da Zona Norte (Mazon) é uma organização da sociedade civil, de direito privado e sem fins lucrativos, fundado em 2006 e que se propõe a intermediar, junto à administração pública, demandas da população carente.

Juntamente com outras quatro associações, a entidade recebeu o aval do governo federal, ainda em 2014, para construir casas populares por meio do programa “Minha Casa Minha Vida Entidades”. As cinco organizações deverão ser destinadas mais de R$ 120 milhões, recurso oriundo do caixa do Ministério das Cidades.

A direção do Mazon informou que recebeu do Ministério das Cidades, este ano, a confirmação da liberação do recurso e, por isso, passou a fazer a seleção dos currículos. Sob a direção da entidade, 160 casas populares deverão ser construídas no bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, próximo ao shopping Via Norte.

O recurso do Ministério das Cidades para essa obra (prometido em 2014) era de R$ 9,9 milhões. Pelo critério definido pelo programa “Minha Casa Minha Vida Entidades”, é o próprio Movimento Amigos da Zona Norte, assim como as demais organizações, que poderão escolher as famílias a serem contempladas com as novas moradias.

Publicidade
Publicidade