Publicidade
Manaus
Manaus

Em Manaus, residência é evacuada após caminhão de lixo ficar mais de 12h atolado no barro

O veículo atolou no final da rua Fernando Córdoba, antiga Braga Mendes, no bairro Jorge Teixeira 3, Zona Leste, no trecho sem asfalto, mas que no sistema da Prefeitura de Manaus consta como asfaltado 14/10/2014 às 11:14
Show 1
O caminhão ficou por mais de 12 horas com risco de tombar sobre casa
FLORÊNCIO MESQUITA ---

Um caminhão usado na coleta pública de lixo ficou mais de 12 horas preso após atolar no barro na rua Fernando Córdoba, antiga Braga Mendes, no bairro Jorge Teixeira 3, Zona Leste. O veículo oferecia risco de tombar sobre uma residência onde todos os moradores tiveram que sair. O veículo atolou no final da rua, no trecho sem asfalto, mas que no sistema da Prefeitura de Manaus consta como asfaltado, segundo protocolo apresentado apresentando pelos moradores.

O detalhe é que a equipe do convênio para recuperação de ruas em 22 bairros das Zonas Norte e Leste entre Governado do Estado e a prefeito estão trabalhando na rua Fernando Córdoba fazendo calçadas e meio fio no trecho asfaltado. Contudo, informam que o trecho no barro não está inserido na programação.

Todos os sete familiares da casa do assistente administrativo Jefferson Douglas Saraiva, 20, tiveram que sair da própria residência durante a chuva em função do risco do veículo tombar sobre a casa deles. A orientação foi dada pelos próprios servidores municipais que trabalharam na operação de resgate do caminhão. Os servidores usaram quatro tipos de guincho e caminhão munck, veículo que possui equipamento hidráulico utilizado para carregamento, descarregamento e transporte de máquinas pesadas, para tentar retirar o caminhão, mas sem sucesso.

Apesar da apreensão da família de Jefferson, todos disseram entender que os servidores que atuam na coleta de lixo estavam apenas fazendo o trabalho deles. “Eles realmente não têm culpa porque precisam fazer a coleta de lixo, mas a culpa é da prefeitura que diz que a rua está totalmente asfaltada, sendo que só a metade tem asfalto e a outra está no barro”, disse Jefferson.

Dificuldade

A situação revela uma dificuldade diária enfrentada por servidores que atuam na coleta de lixo da cidade. Em muitas ruas, eles precisam enfrentar além de buracos verdadeiros atoleiros causados pela chuva no período de chuvas e pela água servida das casas. O motorista do veículo atolado preferiu não se identificar, mas disse trabalhar nessas condições é um desafio a ser superado. “Não foi a primeira e nem será a última vez que um caminhão do lixo vai atolar. Manaus está cheia de ruas assim e com a chegada do inverno chega à pior época para trabalhar. Temos que passar em ruas assim, mas nessas condições fica inviável e quem fica prejudicado é o morador que precisará levar o lixo para a rua mais próxima porque o caminhão não tem como entrar no barro”, disse

O agente de endemias Antonio Rodrigues, 43, um dos moradores mais antigos da rua, diz ter cansado das promessas. “O caminhão do lixo só descia porque nós limpamos o mato e colocamos aterro no verão, mas com as chuvas, a situação fica sem controle. São 18 anos que a prefeitura diz que vai asfaltar e quando vamos lá mostram no computador que a rua está totalmente asfaltada”, ressaltou.

Publicidade
Publicidade