Sábado, 06 de Junho de 2020
POLÍTICA

Em Manaus, vereadores sinalizam apoiar manifestação do dia 15 de março

Vereadores criticaram a conduta do Congresso Nacional sobre a criação de um orçamento impositivo e defenderam o presidente Bolsonaro (sem partido) no grande expediente, nesta terça-feira (3)



show_joana1_3A51EE4F-8987-4324-8B5A-E9DAA8883F7D__2__EC40859D-CB23-4E79-BEDC-771AF639C488.jpg Foto: Arquivo AC
03/03/2020 às 14:25

Os vereadores criticaram a conduta do Congresso Nacional sobre a criação de um orçamento impositivo e defenderam o presidente Bolsonaro (sem partido) no grande expediente nesta terça-feira (3), na Câmara Municipal de Manaus . Em um aparte durante a fala do vereador Chico Preto (DC), o vereador Claudio Proença (PL) mostrou apoio à manifestação pró Bolsonaro prevista para ocorrer no próximo dia 15.  

“Estão invertendo o papel no orçamento, da forma que querem fazer. Apoio essa manifestação do dia 15, o povo tem que ir para rua. Esse pessoal que fala que o Bolsonaro tem milícia nas redes sociais, não querem o progresso do país. Infelizmente, há parlamentares lá que defendem interesses pessoais”, disse o vereador.



Chico Preto minimizou na plenária da Câmara a natureza da manifestação apoiada por Bolsonaro ao compartilhar vídeo da manifestação em um grupo de Whatsapp privado.

"A manifestação não é contra a instituição Congresso, o povo tem o direito de se manifestar livremente. O povo vai às ruas contra os desmandos do senhor Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados). Faço uma oposição dura contra o prefeito Arthur, mas nunca preguei aqui nessa Casa ampliar as emendas parlamentares com o objetivo de sabotar o Arthur, afirmou.

O vereador Roberto Sabino (PROS) defendeu que a população se insurja contra o Congresso e o centrão, para segundo ele, evitar que Bolsonaro se torne "uma rainha da Inglaterra".

"É muito difícil mudar o sistema, essa é a grande verdade. Mas aqueles que estão mais politizados devem realmente se mover para apoiar alguém quer uma mudança. A gente sabe que o costume no Congresso é muito difícil, o povo tem que se levantar contra o Congresso e o centrão para que eles percebam como a população quer a condução das coisas.

Já o vereador professor Gedeão Amorim não poupou críticas ao presidente Bolsonaro e a manifestação. Gedeão fez uma crítica indireta aos colegas que 'pegam onda' no discurso de Bolsonaro.

"Já visitei o Congresso. O Maia manda e o presidente do Senado obedece, não é bem assim. Lá tem homens e mulheres responsáveis que debatem e discurtem e não existe uma minoria que manda e desmanda. Mesmo nós, vereadores, aqui no norte do país, temos que ter consciência e hombridade. Não podemos pegar essa ou aquela onda", criticou o vereador que disse que não concordar com as emendas impositivas.

Os 41 vereadores de Manaus têm direito a  R$ 659 mil para distribuir em projetos e ações às suas bases eleitorais no Plano Orçamentário Anual durante este ano de eleição municipal.

 O valor das emendas corresponde a 0,6% da receita corrente líquida de 2018, de R$ 27 milhões, isto é, R$ 7 milhões a mais do valor das emendas impositivas apresentadas no exercício anterior para o exercício financeiro de 2020, que foi de R$ 19,8 milhões.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.