Publicidade
Manaus
RÉVEILLON

Em meio à festa, gratidão, reflexão e esperança por dias melhores no País

Público que foi prestigiar a queima de fogos na Ponta Negra falou sobre os principais desejos para o próximo ano 01/01/2018 às 01:03 - Atualizado em 01/01/2018 às 01:11
Álik Menezes Manaus

Os dez primeiros minutos do primeiro dia de 2018, durante o show pirotécnico na Ponta Negra, foram reservados para agradecer pelo ano passado, fazer promessas e pedir por mais ações contra a corrupção. Amazonenses e turistas afirmaram ao portal A CRÍTICA que, apesar do momento festivo, a população não pode esquecer dos casos absurdos de corrupção. 

A enfermeira Simone Calheiros, 40, chegou cedo à praia da Ponta Negra para conseguir um local onde teria visão privilegiada para o palco. "Cheguei por volta das 17h Aqui, eu até moro perto, mas preferi não correr riscos e me antecipei",disse. Apesar de animada com a festa, a profissional da saúde disse que o seu maior pedido para o ano que se inicia é o combate mais intenso contra a corrupção em todos os setores da sociedade. 

"A corrupção está instalada em todos os ambientes. Nós precisamos combater tudo isso. O dinheiro da saúde, por exemplo, tem que ser usado na saúde. Eu estou muito feliz porque tenho saúde e forças para trabalhar, mas como profissional da saúde me sinto arrasada pela forma como os hospitais e as pessoas foram tratadas. É triste e precisa mudar, eu espero que esse novo ano seja de mudança, de renovo, de menos corrupção e de mais amor", disse. 

A dona de casa Regina Medeiros de Mello, 44, também também disse que aproveita o momento da queima de fogos para mandar energias positivas para o ano de 2018. "Nós precisamos nos unir para que haja mudança em todas as áreas, na nossa vida, família, mas também nos governos. Espero que esse novo ano seja diferente, o povo está cansado de sofrer. Mas vamos em frente, vamos à luta", encorajou. 

Além do fim da corrupção, amazonenses e turistas esperam e pedem à Deus que 2018 seja um com mais saúde, novos projetos e que novas vagas de emprego sejam abertas. A aposentada Ivete da Silva Alcântara, 72, chegou cedo ao Ponto Turístico com o marido, o também aposentado Anísio Pedro Alcântara, 76, e estava ansiosa pela virada do ano. 

"Que esse velho ano acabe logo e que o novo traga coisas boas. Saúde, paz, mais amor, mais empregos, mais oportunidade para as pessoas. Eu moro aqui no Amazonas há 26 anos, me sinto em casa, sempre que posso venho ver a queima dos fogos de artifício e os shows, nessa hora a  gente aproveita para sonhar e pedir que o próximo período seja melhor que o ano que passou. Teve coisas ruins, mas também teve muitas coisas boas, mas vamos esquecer o que foi ruim e vamos focar no futuro", disse. 

O técnico em edificações Thiago Ferreria, 31, também chegou cedo à Ponta Negra para garantir um bom local. Ele trouxe amigos, famílias e uma grande estrutura para assistir o show pirotécnico. Contudo, mesmo animado com a comemoração, o jovem disse que espera que em 2018 os órgãos responsáveis atuem mais em prol da sociedade, inclusive coibindo a indústria da invasão.

"Agora é um momento festivo, todos estão felizes, mas e amanhã? Nossa cidade esse ano sofreu demais com a indústria da invasão. Não falo das pessoas que precisam de local para morar, mas falo do cara que invade, constrói e vende, os empresários estão cada vez mais ricos. O meu maior pedido é que sejam feitas ações em prol do coletivo. Hoje nós estamos comemorando, mas daqui uns anos, vamos ter Mata, vamos ter animais? Esse é o nosso maior patrimônio, é a nossa riqueza e está se acabando", criticou.

Publicidade
Publicidade