Sábado, 04 de Abril de 2020
NOVO CICLO

Em missa solene, Dom Leonardo Steiner é empossado novo arcebispo de Manaus

Cerimônia foi realizada na Catedral Nossa Senhora da Conceição e teve a passagem do báculo de Dom Castriani, que deixa o cargo após quase sete anos no comando da Arquidiocese de Manaus



38a4f850-abe8-444e-9a4d-0285f8378d6c_F0748C3C-162A-465B-8F21-364A474EBE23.jpg Foto: Winnetou Almeida
31/01/2020 às 21:19

O sentimento de gratidão e de renovação levou centenas de fiéis a lotarem a Catedral Nossa Senhora da Conceição, a Matriz, para a missa de acolhida do novo arcebispo metropolitano de Manaus, na noite desta sexta-feira (31). Eram pessoas de todos os cantos do Amazonas. Tanto que foi preciso colocar cadeiras e telões na parte externa da Praça da Matriz. A cerimônia foi conduzida pelo pároco da Catedral de Manaus, Hudson Ribeiro.

Antes de a cerimônia iniciar, o público recebeu com aplausos o agora arcebispo emérito da capital, Dom Sérgio Castriani. Ele deixa a função devido a complicações no seu quadro de saúde. Castriani se esforçou para dar a benção inicial da celebração. Logo em seguida, o padre Charles Cunha leu as letras apostólicas, a mensagem do Papa Francisco que oficializa a transição.



“Ouvindo, pois, o parecer da Congregação para os Bispos, pela nossa autoridade apostólica, [...] te nomeamos, confiadamente, arcebispo metropolitano de Manaus, conferindo os direitos e obrigações que correspondem a tal título”, dizia a carta do Santo Padre.

Um dos momentos de maior emoção foi a passagem do báculo, um cajado que simboliza a missão de pastorear a congregação de Manaus. Dom Sérgio entregou, então, o instrumento nas mãos de Dom Leonardo. Esse é o momento simbólico que marca a transição de cargo.

Logo depois, as autoridades eclesiásticas presentes manifestaram obediência e respeito ao arcebispo. Estavam no altar padres diocesanos do interior do estado, bispos eméritos da capital e representantes da Igreja em outros estados, como Roraima, Distrito Federal, Pará e Rio Grande do Sul.

Durante a homilia, o novo arcebispo pediu que os fiéis rezem pela missão que lhe foi dada. “Os desafios são sempre grandes, ainda mais numa região tão importante para o Brasil. Mas especialmente eu penso, agora que estou na Amazônia, como podemos ser mais igreja”, comentou.

Ao final da missa, foi assinada a ata de posse, que registra para a história a transição. Dom Leonardo Steiner é, agora, o sétimo arcebispo a passar pela Arquidiocese de Manaus.

A cerimônia teve transmissão ao vivo por meio da página oficial da Arquidiocese de Manaus no Facebook.

Emoção tomou conta

Enquanto a cerimônia acontecia dentro da centenária Catedral de Manaus, fiéis não esconderam a emoção em se despedir de Dom Sérgio e receber Dom Leonardo. Foi o caso da aposentada Maria do Carmo França, que todo domingo ouvia a homilia de Dom Sérgio.

“A gente percebe que ele fica cada vez mais limitado, mas isso nunca o impediu de servir à Igreja. Ele foi um homem muito bom, que Deus escolheu para cuidar da Igreja em Manaus”, contou.

Ela chorou enquanto Dom Leonardo celebrava o rito de comunhão. “É um novo tempo para o povo de Deus. É muito lindo ver como a Igreja se renova e Deus não nos abandona”, comemorou.

A aposentada diz torcer pelo novo pastor e ressaltou que continuará rezando por Dom Sérgio.

Perfil

Dom Leonardo Ulrich Steiner é natural do Município de Forquilhinha (SC), onde nasceu em 5 de novembro de 1950. Aos 21 anos, ingressou na Ordem dos Frades Menores (OFM) e admitido no Noviciado desta Província Franciscana da Imaculada Conceição do Brasil.

Entre 1973 e 1978, cursou Filosofia e Teologia em Petrópolis (RJ). Seu primo, o cardeal Paulo Evaristo Arns, importante figura de resistência à ditadura militar brasileira, ordenou Steiner como padre em 21 de janeiro de 1978, em sua cidade natal. Trabalhou como professor antes de concluir o curso de Pedagogia, em 1982, atuando como “mestre de noviços” de 1987 a 1994. Cursou mestrado e doutorado em Filosofia no Pontifício Ateneu Antoniano, em Roma, onde trabalhou como secretário geral.

Foi nomeado vigário da paróquia do Senhor Bom Jesus em Curitiba, onde também passou a lecionar na Faculdade de Filosofia São Boaventura. O Papa João Paulo II nomeou Steiner como bispo para a Prelazia de São Félix do Araguaia (MG) em 2 de fevereiro de 2005.

Steiner foi ordenado bispo em 16 de abril do mesmo ano, em Blumenau (SC), pelo cardeal Paulo Evaristo Arns.

No dia 20 de abril de 2015, foi reeleito secretário-geral da CNBB. Junto com outros eclesiásticos, dom Leonardo mobilizou toda a Igreja no Brasil para a reforma da sede nacional da CNBB, em Brasília. Seu mandato foi concluído no dia 10 de maio de 2019.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.