Terça-feira, 23 de Abril de 2019
publicidade
WhatsApp_Image_2019-03-12_at_19.59.17_267D3809-6E73-4C35-959A-68B0566B7793.jpeg
publicidade
publicidade

DIFERENCIAL

Em meio a surto de H1N1, drogaria de Manaus vende kit para prevenção da doença

Batizado de "Xô H1N1", kit com álcool em gel e vitamina C é comercializado a R$ 11. Infectologista afirma que produtos ajudam na prevenção e dá outras dicas


12/03/2019 às 20:45

O manauara enfrenta um surto de gripe Influenza A (H1N1) e com o passar dos dias utiliza meios de prevenção para coibir o avanço da infecção. Neste mês as drogarias da cidade não suportaram a demanda da população e enfrentaram uma escassez de álcool em gel nas prateleiras, em virtude da grande procura pelo antisséptico. Uma drogaria situada na Avenida André Araújo, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul de Manaus, montou o “Kit Xô H1N1”.

Nesse conjunto está embalado um frasco de álcool em gel e um tubo de ácido ascórbico, a vitamina C, efervescente. O kit é vendido ao preço de R$ 11 cada.

“Aqui nós sempre fazemos kit temáticos. Já tivemos o kit folião, para o Carnaval, o kit de dia das mulheres, com um rosa, e agora fizemos o Kit Xô H1N1. A procura por álcool em gel e vitamina C está muito alta desde quando as pessoas souberam do surto. Por isso, a gerência resolveu montar esses pacotes especiais”, explicou o farmacêutico Fernando Costa.

A venda do Kit Xô H1N1 começou nesta segunda-feira (11), segundo Fernando, foram confeccionados inicialmente 50 kits. De ontem para hoje, 35 já foram vendidos. “Quando acabar esses, vamos solicitar mais álcool em gel e vitamina C para reposição. E assim faremos novos kits”, complementou o farmacêutico.

Até a última segunda-feira (11), o Amazonas registrou 24 mortes provocadas por H1N1 e 20 delas ocorreram em Manaus. Há no Estado, segundo a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM), 91 pacientes diagnosticados com o vírus da Influenza A, desde o início do surto em fevereiro.

Prevenção

O infectologista Marcos Guerra explicou que tanto o álcool em gel, quanto a vitamina C são métodos de prevenção que agem de formas diferentes no organismo. “O álcool em gel a 70% destrói o vírus que pode estar contaminando as mãos. Essa é uma medida de proteção individual. E a vitamina C ajuda o sistema imunitário do indivíduo”, explicou Guerra.

No caso da H1N1, conforme o infectologista, ela atinge pessoas que estão com os níveis imunológicos em baixa. A vitamina C ajuda a levantar esses índices.

Sobre o uso da água com limão, que algumas pessoas tomam em jejum, o médico frisou que as frutas cítricas, geralmente, possuem um alto índice de vitamina C e por isso podem ajudar. “Além do limão, ou laranja, aqui no Amazonas já possuem estudos que comprovam que o camu camu tem um alto teor de vitamina C, bem como ações antioxidantes”, afirmou Guerra.

O médico ressaltou ainda que é necessário evitar grandes aglomerações. “Se uma pessoa infectada espirrar ou tossir em um local com muitas pessoas, o vírus em supressão no ar pode alcançar até dois metros de distância. Por isso é bom evitar”, concluiu.

publicidade
publicidade
Prefeitura começa a demolir imóveis para obras na avenida Constantino Nery
De dízimo a viagens: manauaras fazem planos para R$ 90 milhões da Mega-Sena
publicidade
publicidade
publicidade
publicidade

publicidade
publicidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.