Publicidade
Manaus
Manaus

Em um mês, Ronda Maria da Penha reduz 36% violência contra a mulher em Manaus, diz SSP

Medida resultou em mais 200 visitas no mês de outubro, segundo o órgão. Projeto foi implantado no dia 30 de setembro com objetivo de proteger vítimas de agressões domésticas. "Botão do Pânico" está previsto para 2015 10/11/2014 às 18:11
Show 1
Crimes contra a mulher reduziram 36% em um mês
ACRITICA.COM Manaus (AM)

Após um mês em operação, o projeto Ronda Maria da Penha reduziu em 36% o número de casos de violência contra a mulher na Zona Norte de Manaus. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), a medida realizou mais de 200 visitas no mês de outubro. Autoridades destacam um aumento no número de denúncias e ação deve ser auxiliada com implantação do 'Botão do Pânico', previsto para 2015. 

De acordo com a SSP, os registros de violência doméstica no bairro Novo Aleixo e adjacências caíram de 45 casos em setembro para 29 em outubro. As ações do Ronda Maria da Penha foram implantadas no dia 30 de setembro na capital com o objetivo de proteger vítimas de violência doméstica.

Para a delegada Ketlem Gama, da Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher, o projeto trouxe mais celeridade no registro de ocorrências e na garantia do cumprimento de medidas protetivas.

“Com esse projeto, a vítima vai até a delegacia e faz o registro de ocorrência e fazemos a medida protetiva e o inquérito policial para encaminhar à Justiça. Daí a medida é encaminhada ao judiciário e a juíza defere e a gente encaminha essa medida protetiva para o Ronda Maria da Penha, para que eles façam acompanhamento”.

No mês de outubro, o Ronda Maria da Penha realizou mais de 200 visitas nas residências das vítimas na Zona Norte. Desse total, foram feitos 58 atendimentos às vítimas de violência doméstica que já haviam solicitado à Justiça a medida protetiva.

'Botão do Pânico'

Segundo o coordenador da Polícia Civil, Luciano Tavares, o 'Botão do Pânico' deve ser implantado na capital no início de 2015.  Com o dispositivo, possíveis vítimas em ameaça apertam o botão e recebem imediatamente apoio policial. Cidades como Vitória (ES), Londrina (PR) e o estado Pará já têm o serviço ativado para coibir esse tipo de ocorrência.

De acordo com o secretário de Justiça, Louismar Bonates, Manaus é a primeira cidade do país a integrar o botão do pânico com outro serviço vinculado, onde os supostos infratores são monitorados.

“Já tínhamos as tornozeleiras eletrônicas onde os cidadãos infratores são monitorados, e agora teremos o botão do pânico. Antes o trabalho era feito só com o suposto agressor, agora será feito em conjunto com o infrator e a vítima, de modo que ela saberá quando ele estiver se aproximando”, explicou o secretário.

Todos os chamados devem ser monitorados pelo Centro de Operação e Controle do Sistema Prisional e Tornozeleiras Eletrônicas da Sejus.

Publicidade
Publicidade