Publicidade
Manaus
CASOS DE AGRESSÃO

Em uma semana, duas ocorrências mostram truculência em fiscalizações da SMTU

Vereador Marcelo Serafim (PSB) e advogado Marcelo Ramos afirmam que há excessos na forma de abordagem adotada na atual gestão. Há relatos de agressão por parte dos servidores da Prefeitura 27/04/2017 às 10:08
Show aldo
Coronel da PM e superintendente do órgão, Audo Albuquerque, estaria conduzindo pasta como "quartel de polícia" (Foto: Arquivo/AC)
Kelly Melo Manaus (AM)

Denúncias de abordagens violentas e excesso de autoridade durante fiscalizações da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU) têm chamado a atenção nos últimos dias. Só em uma semana, duas ocorrências em que fiscais da SMTU agridem um motorista de frete e um mototaxista vieram a público após registro em vídeo.

Para o vereador Marcelo Serafim (PSB), a atitude que os fiscais têm adotado nas ruas é reflexo da postura do atual superintendente, Audo Albuquerque, que é coronel da PM e que tem conduzido a pasta como um verdadeiro “quartel de polícia”. “Infelizmente, eles abusam da autoridade e os agentes estão fazendo o que o superintendente manda. Ele transformou a SMTU em um quartel de polícia”, afirmou.

O parlamentar também criticou o superintendente por tê-lo convocado a prestar esclarecimentos na sindicância aberta pela própria SMTU para apurar indícios de desvios de combustível para as empresas de transporte coletivo, que foi denunciada pelo vereador. “Ele está fazendo o caminho inverso. Quem tem poder de convocar para prestar esclarecimentos é a Câmara, não o contrário”, argumentou. “Ele deveria mostrar essa autoridade toda também com os empresários do transporte coletivo, mas com eles, o coronel Aldo é mais brando”, alfinetou.

O advogado Marcelo Ramos, ex-presidente da extinta Empresa Municipal de Transporte Urbanos (EMTU), afirma que há excesso na forma de abordagem adotada pela atual SMTU. “Os fiscais tem poder de polícia para combater infrações administrativas, mas eles não podem algemar nem atirar em ninguém, apenas apreender veículos irregulares”, afirmou. Para ele, o atual superintendente não tem perfil para conduzir a pasta. “Ele tem perfil violento, é despreparado e não entende nada de transporte. Ele tem que ter a postura de gestor e não de policial militar”.

Casos filmados

O motorista de frete Raimundo Passos, 44, foi uma das vítimas do excesso. Na semana passada ele realizava um frete no bairro Tarumã, sentido Ponta Negra, na Zona Oeste, quando foi abordado por fiscais, que atiraram contra o veículo dele e o algemaram. A ação foi registrada e o vídeo foi publicado nas redes sociais. “Não é a primeira vez que isso acontece e eles estão chegando batendo. Nada justifica essa força e eles estão andando armados e atirando. Não esperava que isso acontecesse”, relatou o motorista.

Como o veículo estava irregular, ele foi apreendido e o motorista foi levado algemado para ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Lá, Raimundo foi orientado a procurar um advogado. “Foi uma situação desesperadora. Fui orientado a procurar um advogado porque essa abordagem foi estranha”, disse.

Um mototaxista também foi algemado e agredido por fiscais da SMTU durante uma fiscalização de rotina na avenida Timbiras, no bairro Cidade Nova, na última segunda-feira. Os agentes teriam encontrado irregularidades no veículo, mas imobilizaram e algemaram o homem para apreender a motocicleta.

Caçada ao Uber

Fiscais da superintendência também demonstraram “excesso de força” quando a plataforma Uber começou a funcionar em Manaus, no início desse mês. Eles realizaram uma verdadeira “caçada” aos motoristas do aplicativo, que acreditam terem sido vitimas de emboscadas. Algumas abordagens foram gravadas e divulgadas nas redes sociais.

Publicidade
Publicidade