Publicidade
Manaus
NOVO DESASTRE

Embarcação afunda e derrama óleo no Rio Negro; é o 2º caso em oito dias

Dessa vez, caso ocorreu no porto de uma empresa de navegação no bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus. No último dia 27, embarcação naufragou e derramou cerca de 2 mil litros no Rio Negro 05/09/2018 às 14:19 - Atualizado em 06/09/2018 às 09:45
Show foto   c pia bfdcb8af 328c 455a 8713 66bf70d81963
Embarcação afundou em porto na Zona Centro-Oeste de Manaus (Foto: Divulgação/Ipaam)
Priscila Rosas Manaus (AM)

Oito dias após um rebocador derramar aproximadamente 2 mil litros de óleo diesel no Rio Negro, outro caso voltou a se repetir em Manaus. Um empurrador afundou na manhã desta quarta-feira (5) no porto da empresa de navegação Waldemiro P. Lustoza & Cia Ltda, localizada avenida Presidente Dutra, no bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus. A embarcação ficou parcialmente afundada com a popa no fundo.

Segundo o Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), ainda não se sabe a quantidade de óleo diesel utilizado como combustível derramado no rio. O local do acidente fica a 300 metros do Porto do São Raimundo. 


Ipaam ainda não possui informações sobre a quantidade de óleo derramado no rio (Foto: Divulgação/Ipaam)

A empresa responsável fez a contingência necessária para que o óleo não se espalhasse utilizando bóias de contenção, procedimento padrão para esse tipo de caso. Um guindaste de 50 toneladas está sendo utilizado para içar a embarcação nesta quarta-feira.

O Ipaam foi acionado por volta das 11h e dois fiscais do órgão acompanham a ação. A empresa foi notificada a prestar esclarecimentos sobre as causas do acidente e quais os procedimentos de segurança utilizados.

Outro naufrágio

Há oito dias dias, um rebocador do Porto Chibatão naufragou e derramou quase 2 mil litros de óleo diesel no Rio Negro e percorreu 10 km de extensão. O acidente ocorreu na última segunda-feira (27) entre o Porto da Ceasa e a estação do Programa Águas Para Manaus. A empresa responsável foi notificada a pagar cestas básicas, água potável para 100 famílias afetadas pelo desastre ambiental. A Manaus Ambiental descartou contaminação da água

Na manhã de hoje, o Ipaam realizava a fiscalização da entrega dos mantimentos para as comunidades pelo grupo Chibatão, bem como ajuda de custo para pescadores e ajudantes que foram prejudicados pelo vazamento.


Mancha de óleo percorreu quase 10 quilômetros de extensão (Foto: Divulgação)

Publicidade
Publicidade