Sábado, 20 de Julho de 2019
VELÓRIO

Emoção e saudade marcam velório de PM morto atropelado por BMW em Manaus

Cornetista da banda da PM, o sargento Sérgio Ramos, 49, deixou três filhos e esposa. Profissionalismo e amor pela música foram lembrados por família, amigos e colegas de trabalho



659a7c07-8f4f-414f-8c2c-107d23e71d28.jpg Foto: Winnetou Almeida
09/02/2018 às 10:57

Uma pessoa alegre e um profissional dedicado. É assim que o sargento da Polícia Militar do Amazonas, Sérgio Ramos, de 49 anos, que morreu atropelado por uma BMW na tarde dessa quinta-feira (8), em Manaus, será lembrado entre familiares, amigos e colegas de trabalho. O velório do policial ocorreu na manhã desta sexta-feira (9), no oratório do Quartel da Polícia Militar.

Emocionado, o irmão mais novo do sargento, Kaleide Ramos, afirmou que a família quer justiça pelo trágico acidente que vitimou o rapaz. “Um primo nosso me ligou e perguntou se era verdade que o Sérgio tinha morrido. Depois tivemos certeza pelas redes sociais. Ele estava voltando de um velório quando o acidente aconteceu. Estamos revoltados, porque é uma injustiça. Vamos ver todas as questões jurídicas para que o motorista pague pelo que fez”, destacou o irmão.

Sérgio deixa três filhos, uma mulher e dois homens, além de uma esposa com que estava casado há mais de 20 anos. “O meu irmão era um cara carinhoso, tinha os dias ruins como qualquer um, mas sempre atencioso e muito preocupado com os filhos. Ele sempre estava disposto para nos ajudar, além ser um ótimo profissional”, comentou.

O enterro do sargento será realizado por volta das 15h desta sexta-feira (9) no Cemitério São João Batista, na Zona Centro-Sul de Manaus. "A gente não estava esperando isso. A esposa dele e a minha mãe estão muito abaladas. É um momento muito difícil", relatou.

Amor pela música

Instrumentista, o sargento era conhecido como “Cornetista da Banda da PM”. Ele trabalhava na corporação há mais de 28 anos e sempre foi apaixonado pela música. “Desde quando era pequeno era apaixonado por música. Também tinha o sonho de ser policial e conseguiu realizar tudo isso”, completou o irmão do sargento.

Companheiro de Sérgio na banda da PM há mais de 17 anos, o sargento André Marchon, afirmou que o colega será lembrado pelo trabalho que desenvolveu durante os anos. "Fiquei sabendo da morte do Sérgio pelos grupos, e fiquei arrasado. O nosso sentimento é de querer justiça, porque o motorista estava em alta velocidade. Queremos que a justiça seja feita neste Estado", destacou.

O sargento André Marchon também completou que Sérgio será lembrado como uma pessoa alegre. “Existem outros corneteiros na banda, mas com certeza o Sérgio será insubstituível. Ele era uma pessoa alegre e muito querida desde o alto comando da PM”, finalizou.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.