Publicidade
Manaus
PEDIDOS DE JUSTIÇA

Emoção marca missa de sétimo dia em memória de advogado morto a tiros no Porão

Amigos e familiares de Wilson de Lima Justo Filho, além de autoridades, marcaram presença na cerimônia 01/12/2017 às 20:59 - Atualizado em 01/12/2017 às 21:06
Show missa
Foto: Antonio Lima
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Muita emoção e clamor por justiça marcaram a missa de sétimo dia do advogado Wilson de Lima Justo Filho, de 35 anos, morto a tiros no último sábado (25) durante uma briga no bar Porão do Alemão, na Zona Oeste de Manaus. A cerimônia ocorreu na noite desta sexta-feira (1°) na Igreja Jesus de Nazaré, localizada no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus.

Amigos, familiares e autoridades marcaram presença na cerimônia, que iniciou por volta das 20h. Equipes de reportagem não foram autorizadas a acompanharem a cerimônia dentro da igreja. Familiares também não quiseram falar com a imprensa sobre o caso.

A advogada da vítima, Catharina Estrella, falou sobre a perda do cargo de confiança do autor dos disparos, o delegado Gustavo Sotero. Segundo ela, o sentimento da família é de satisfação, porém é esperada a exoneração de Sotero do cargo de delegado. “Realmente tem que ter a exoneração. Eu como advogada sei que pra isso acontecer é necessário um processo administrativo disciplinar. Esperamos que o processo seja seguido e a punição aplicada”.

Sobre a tese da defesa do Sotero, que afirma que o delegado agiu sob legítima defesa, Estrella afirma que a lei deve ser cumprida. “Está muito claro que foi uma tentativa de homicídio. A jurisprudência está a favor das vítimas. Esperamos que a justiça seja feita e que não haja qualquer benefício por ele ser um agente público”, declarou.

Publicidade
Publicidade