Sábado, 24 de Agosto de 2019
Economia, Produtos Hospitalares, BioSaúde, Arquitetura Sustentável

Empresa de produtos médico-hospitalares investe em Manaus

Proposta da BioSaúde é a de consolidar a liderança no mercado local e ampliar participação em Estados vizinhos. Inauguração da sede em Manaus está prevista para abril 



1.jpg Apartir da nova sede, empresa vai ampliar operações no Amazonas, em Roraima e em Rondônia
18/02/2013 às 14:13

O mercado de produtos médicos especiais está prestes a dar um salto no Amazonas. Atenta ao potencial de crescimento local, a Biosaude, empresa sediada em Belém, está construindo prédio próprio na capital amazonense.

O edifício de três andares que está sendo erguido na avenida Djalma Batista dará suporte às operações da empresa em Porto Velho e Roraima, além de Manaus. Os clientes são hospitais e planos de saúde.

A nova sede tem inauguração prevista para início de abril, e está a cargo da J. Augusto Arquitetura & Construção, sob responsabilidade do arquiteto João Augusto.

Atualmente, a Biosaude fornece produtos médicos avançados para as áreas de cardiologia, cirurgia cardiovascular e periférica (itens como stents, marcapassos e cateteres, por exemplo).

Com a nova estrutura em Manaus, a empresa vai ampliar o portfólio para o mercado local com produtos para as áreas como ortopedia, cirurgias cardíacas abertas e neurocirurgias abertas.

“Sentimos a necessidade de ter uma estrutura maior em Manaus. A intenção é atender, a partir daqui, Porto Velho e Boa Vista”, comentou o gerente comercial Hortêncio Sampaio.

A estratégia da empresa é ficar alguns passos à frente da concorrência, com estoque para pronta entrega, mix completo e multimarcas, além de assessoria técnica especializada.

Sustentabilidade
O projeto arquitetônico é o de maior complexidade já elaborado pela J. Augusto Arquitetura & Construção. O arquiteto João Augusto propôs ações e serviços com o objetivo de gerar sustentabilidade e qualidade na obra, o que proporcionou mais de 30% de economia na utilização de materiais.

Foi projetada uma área técnica que tem a função de reunir as máquinas de ar condicionado em ponto estratégico, ocupando 40% menos espaço, e cortando pela metade a necessidade de aparelhos, com influência direta nos custos.

A empresa decidiu investir em prédio novo para atender a todas as exigências da Anvisa. Oaproveitamento da água da chuva e soluções em automação como sensores de presença enfatizam a sustentabilida-de do projeto.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.