Publicidade
Manaus
Manaus

Empresário paulista pode ter sido morto no lugar de seu patrão, presume polícia em investigações

Uma das hipóteses levantadas pela DEHS é que Marcos Pedrosa tenha sido vítima de latrocínio ou que tenha sido morto por engano 26/03/2015 às 15:10
Show 1
Marcos Pedrosa foi encontrado morto, com as mãos amarradas, nas águas do Tarumã
Jornal A Crítica Manaus (AM)

Imagens das câmeras de segurança pública vão ser usadas pela polícia para auxiliar na elucidação do crime do gerente da loja de bicicleta, Marcos Gusmão Pedrosa, de 49 anos, executado com um tiro na cabeça, na noite de sexta-feira para sábado, segundo informou ontem o titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins. Até ontem, o delegado já tinha o nome de pelo menos dois suspeitos.

O delegado revelou que as investigações já estão bem adiantadas. Uma equipe da DEHS prossegue com o levantamento feito com base nas imagens do Centro Integrado de Operações de Segurança (Ciops). A coleta de dados servirá para traçar toda a trajetória da vítima desde o local do curso de pós-graduação na Djalma Batista, até a Cachoeira Alta do Tarumã, na zona Oeste, onde o corpo foi encontrado.

O delegado esclareceu que a polícia tem várias informações que estão sendo checadas. Algumas batem com as investigações feitas pela polícia. De acordo com Martins, a polícia já sabe que Marcos Pedrosa foi levado por três homens do Parque dos Bilhares, por volta das 20h56. E, desde então, não foi mais visto. O delegado disse que a polícia trabalha com duas linhas de investigações para elucidar o crime.

A primeira hipótese é que Marcos Pedrosa tenha sido vítima de um crime ocasional. Ele pode ter sido levado por assaltantes e reagido à ação dos bandidos que decidiram matá-lo. Nesta situação, trata-se de um latrocínio - assalto seguido de morte. A outra hipótese é que ele tenha sido morto no lugar do seu patrão, o empresário Jorge Mojica Aguirre. A polícia também está investigando o provável envolvimento de Mojica, com práticas criminosas. Essa possibilidade não foi descartada pela polícia.

O delegado informou que Jorge Mojica, está viajando, mas que o advogado dele já entrou em contato com a DEHS e prometeu apresentá-lo assim que ele retornasse de viagem, o que deve acontecer na próxima semana. Até ontem, a delegada Juliana Viga, que está presidindo as investigações já tinha ouvido em termo de declaração a ex-mulher da vítima e funcionários. “Nós estamos avançando e as equipes estão nas ruas”, disse a delegada.

A ex-mulher da vítima, disse que não tinha nenhum suspeito de ter cometido o crime. Para ela, Marcos foi pego pelos criminosos depois que saiu do curso de pós-graduação. “Ele ficou de pegar o nosso filho na minha casa para passar o fim de semana com ele e não apareceu”, disse a mulher.

Corpo foi encontrado no Tarumã

Marcos Pedrosa foi morto com um tiro na cabeça e teve as mãos amarradas com uma tira vermelha. O corpo foi encontrado na manhã do último dia 21, no igarapé da Cachoeira Alta do Tarumã, na zona Oeste da capital.

De acordo com as investigações, usado por Marcos, uma Saveiro de cor branca - que segundo informações da polícia, está em nome do empresário Jorge Mojica -, foi abandonado por dois homens que tentaram furar uma barreira policial no bairro da Paz. Eles deixaram o carro e fugiram.

Conforme a investigação, os supostos criminosos levaram a mochila da vítima em que tinha um notebook, o celular e outros pertences.

Publicidade
Publicidade