Sábado, 20 de Julho de 2019
Manaus

Empresários aprovam regulamentação para vendas feitas pela internet

Os sites de venda terão de disponibilizar em suas páginas um canal de serviços para atender o consumidor que facilite o trânsito de reclamações, questionamentos sobre contratos ou mesmo dúvidas sobre o produto adquirido



1.jpg Regulamentação dará mais transparência às vendas on line no Brasil
17/05/2013 às 07:57

Gestores de algumas das grandes lojas de Manaus avaliaram como sendo positiva a regulamentação – realizada na terça-feira - do comércio eletrônico no Brasil, cujo objetivo é tornar mais claras as regras desse negócio e resguardar os direitos básicos do consumidor.

Na opinião do gestor de Novos Negócios da Ramsons, Marcelo Salum, a nova regulamentação deve beneficiar tanto as empresas do segmento quanto o consumidor. “A lei vai garantir que as empresas que trabalham seriamente no ramo conquistem maior credibilidade, e as que não conseguirem se adequar acabarão saindo do mercado”, disse.

Salum acrescenta que as regras não devem prejudicar as vendas do e-commerce da loja, que atualmente atende toda a capital amazonense. “Estamos com boas expectativas de crescimento, nossa intenção é ampliar esse ano a nossa área de abrangência para os municípios do interior e, com isso, aumentar os negócios em 25%”, revela o gestor.

Novo site

Outro que tem boas perspectivas com a novidade é a Bemol Online, que planeja para os próximos meses lançar um novo site e incrementar as vendas em 30%. Segundo o coordenador da loja virtual, Márcio Lira, a regulamentação já era prevista há cerca de dois anos, tanto é que, o site não precisou passar por adequações. “Já vínhamos cumprindo as medidas, entre elas, as nossas informações como CNPJ, endereço e atendimento on line, que constam no rodapé da página”, comentou.

Ele acredita que a lei trará maior confiança para o consumidor, principalmente, aquele que ainda não aderiu às compras via Internet. “Ainda é um tabu para muita gente, ainda há aqueles que têm insegurança se o produto vai chegar em casa ou não, receio de disponibilizar seus dados e se a loja existe realmente”, apontou.

E é no que também acredita Jean-Claude Egami, diretor comercial da Mirai Panasonic, que vê entre as vantagens no Decreto Federal 7.962/13, a transparência para quem está adquirindo o produto ou serviço via Internet. “Os consumidores se sentirão mais protegidos e irão optar pelas lojas virtuais de empresas mais sérias, com mais credibilidade e solidez de infraestrutura”, destacou.

Jean-Claude Egami comemora o sucesso do e-commerce e, sem citar números, revela que o site tem tido crescente número de visitas nos últimos meses. “Isso se deve a recente reestruturacão de nossa loja virtual e, com isso, passamos a oferecer mais opções, novidades e comodidade ao público manauara”, conta o diretor da Mirai, empresa que atua no segmento de vendas on line há sete anos.

Algumas das principais obrigações

Entre as obrigações para as vendas via Internet está a disponibilização, em lugar de fácil visualização, de informações básicas sobre a empresa – como nome, endereço, CNPJ ou CPF.

Com as novas regras, as empresas terão também a obrigação de respeitar o direito de o consumidor se arrepender da compra no prazo de até sete dias úteis, sem a necessidade de que seja apresentada qualquer justificativa. Nesses casos, a obrigação pela retirada do produto na casa do consumidor e o estorno do valor pago, será da empresa que vendeu o produto.

Os sites de venda terão de disponibilizar em suas páginas um canal de serviços para atender o consumidor que facilite o trânsito de reclamações, questionamentos sobre contratos ou mesmo dúvidas sobre o produto adquirido.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.