Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Manaus

Empresários se comprometem com pagamento e rodoviários suspendem greve em Manaus

A paralisação estava marcada para acontecer nas primeiras horas desta terça-feira, já que terminou o prazo do 5º dia útil para a realização dos pagamentos



1.jpg Conforme Oliveira, o pagamento atrasou porque as empresas alegam que o subsídio de R$ 1.750 milhão que a Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado prometeram repassar não ocorreu
06/08/2013 às 19:30

A intenção de paralisar 70% da frota do transporte coletivo em Manaus foi suspensa pelo sindicato dos rodoviários no início da noite desta terça-feira (6). A decisão aconteceu depois de reunião com os proprietários das empresas se comprometerem em pagar nesta quarta-feira (7) os salários da categoria.

A paralisação estava marcada para acontecer nas primeiras horas desta terça-feira, já que terminou o prazo do 5º dia útil para a realização dos pagamentos. De acordo com informações repassadas pelo presidente do sindicato dos rodoviários, Josildo Oliveira, apesar do comprometimento dos empresários em efetuarem o pagamento ainda nesta quarta, os trabalhadores esperam que o posicionamento dos patrões mude e que eles realizem os pagamentos em dia.

“Essa é a segunda vez que eles pagam fora do prazo assegurado por lei. Mas, não deixaremos isso acontecer pela terceira vez, eles precisam entender que o trabalhador não pode pagar pelas divergências que existem entre eles e a Prefeitura de Manaus”, ressaltou.

Conforme Oliveira, o pagamento atrasou porque as empresas alegam que o subsídio de R$ 1.750 milhão que a Prefeitura de Manaus e o Governo do Estado prometeram repassar não ocorreu. O subsídio foi definido no início de julho para manter a redução da tarifa de R$ 2,90 para R$ 2,75. O município é responsável por R$ 750 mil e o Estado por R$ 1 milhão.


Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.