Publicidade
Manaus
ESPANCADO

Enfermeiro morre em hospital nove dias após ser espancado em 'arrastão'

Vítima estava internada desde 20 de fevereiro e veio a óbito nesta quinta (1º) após presenciar arrastão no bairro Nova Esperança, na Zona Centro-Oeste. Caso será investigado 01/03/2018 às 22:07 - Atualizado em 02/03/2018 às 08:59
Show 23632040 1417569385032291 6186922678019208468 o
Foto: Reprodução/Facebook
Fábio Oliveira Manaus (AM)

Internado no Hospital Check Up desde 20 de fevereiro, vítima de agressão física, o enfermeiro Jucicleber Ferreira Pena, 35, não resistiu aos ferimentos. Na tarde desta quinta (1º), ele morreu em decorrência dos graves hematomas causados pelo espancamento que sofreu por parte de dois homens na avenida Laguna, bairro Nova Esperança, Zona Centro–Oeste de Manaus.

De acordo com a irmã, Maria Silvana Ferreira Pena, 46, Jucicleber estava em um ponto de ônibus, em frente a um posto para taxistas, quando percebeu que uma quadrilha roubou duas pessoas. Ao perceber que se tratava de um arrastão, ele correu, mas tropeçou, caiu e logo foi alcançado pela dupla.

“Meu irmão viu que era um arrastão e então correu, mas ele tropeçou e bateu a costela dele em uma pedra na rua, por isso ele não conseguiu mais levantar e esses dois homens chegaram nele e bateram bastante. Meu irmão levou vários socos no rosto e em todo o corpo”, explicou, revelando que após o espancamento, os suspeitos fugiram sem levar nada.

“Meu irmão estava com uma bolsa nas costas, mas eles não levaram. Acho que não conseguiram porque um homem do posto gritou e eles correram”, contou. Ainda segundo a irmã, Jucicleber, mesmo bastante ferido, rastejou até um táxi estacionado próximo e pediu ajuda. Ele foi socorrido e encaminhado para o hospital Check Up, onde trabalhava como enfermeiro.

“Quando eu fiquei sabendo do fato já era por volta das 6h30. Me ligaram do hospital e fui rapidamente pra lá e quando cheguei vi meu irmão muito fraco, debilitado, mas mesmo assim ele ainda conseguiu falar o que havia acontecido. Ele disse que teve de se arrastar para pedir ajuda”, relembrou, bastante abalada.

A autônoma informou ainda que uma câmera de segurança de uma drogaria filmou parte do espancamento contra Jucicleber. Todas as imagens, segundo ela, foram repassadas para uma equipe de policiais do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), onde um Boletim de Ocorrência foi registrado.

Segundo ela, o caso já está sendo investigado. “Nos repassaram que os policiais já estão à procura de testemunhas e em busca de mais imagens de câmeras de segurança, a que temos já demos para eles e agora vamos esperar”, explicou.

A reportagem tentou entrar em contato com o delegado  Tarson Yuri, titular do 19º DIP, pelo número 99XX-44XX, para obter informações sobre o andamento das investigações, mas o mesmo não atendeu as ligações. Testemunhas na região afirmam que os arrastões ocorrem constantemente no bairro.

Publicidade
Publicidade