Publicidade
Manaus
Manaus

Enquanto Zona Azul não sai, motoristas transformam Centro de Manaus em desordem

Sem a definição das  vagas rotativas, por parte da prefeitura e da Justiça, os veículos fazem a farra nas ruas do Centro 09/10/2014 às 00:33
Show 1
Diariamente, as ruas centrais da cidade ficam sob a lei de cada motorista, que não respeitam áreas proibidas
Jéssica Vasconcelos Manaus (AM)

O sistema de estacionamento rotativo “Zona Azul” continua na indefinição de quando começará a ser operado. Segundo o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) depois que uma das empresas que concorrem a licitação pediu revisão o processo está parado aguardando análise da Justiça para que então seja homologado.

De acordo com o Manaustrans  não há um prazo para que a Justiça análise o pedido da empresa concorrente e por enquanto o sistema de estacionamento rotativo segue indefinido.

Em agosto ao que tudo indicava, a empresa vencedora da licitação era  o Consórcio Amazônia, único a atender os requisitos do processo, porém o Manaustrans não confirmava a vencedora, pois ainda havia etapas a serem concluídas e ela ainda pode ser desclassificada.

Expectativa

A partir da definição do resultado final, o consórcio terá 180 dias para implantar 3,2 mil vagas de estacionamento rotativo em mais de 60 ruas no Centro. O primeiro lote, de 2,1 mil vagas de estacionamento, deverá ser implantado em 90 dias. Depois do prazo, o consórcio deve implantar mais 1,1 mil vagas em 90 dias, referentes ao segundo lote. Deste total, 2% são reservadas a pessoas com deficiência e 5% para idosos.

Enquanto o “Zona Azul” não começa a funcionar os agentes de trânsito seguem tentando organizar o trânsito do Centro. Na manhã de ontem, dois agentes multavam os condutores que insistiam em estacionar em fila dupla na avenida Eduardo Ribeiro, no Centro.

Depois da saída dos agentes um caminhão começou a descarregar colchões em uma loja também na avenida Eduardo Ribeiro sem que houvesse qualquer impedimento.

De acordo com o motorista Alexssandro Lima, 31, a falta de vagas de estacionamento é um problema recorrente no Centro e se nada for feito as irregularidades vão continuar. “Aqui é muito complicado organizar se não tiver fiscalização constante. Quem vem no Centro para na rua do jeito que dá ou então recorre aos flanelinhas e estacionamentos particulares”, disse Alexssandro.

 O flanelinha João Silva, 51, informou que por enquanto os flanelinhas não foram procurados e continuam atuando no Centro sem nenhum impedimento. “Nós trabalhamos há muito tempo no Centro eles não vão nos tirar daqui por qualquer motivo”, acrescentou João.



Saiba mais

Lançamento

O Zona Azul foi lançado para lojistas do Centro, em março de 2012, pelo então diretor-presidente do Manaustrans, Walter Cruz.

Adiado

O sistema deveria ter sido licitado para implantação em dezembro do mesmo ano, mas foi adiado para janeiro e depois março e junho de 2012, para ajustes na licitação, mas só foi regulamentado em março de 2013.

Suspensão

 A licitação ainda foi suspensa em janeiro deste ano, até ser realizada em abril.

Cartão

O projeto inicial prevê que os condutores terão que adquirir um cartão magnético e comprar créditos para usá-los nas vagas.

Tempo

O cartão será inserido em uma máquina eletrônica, que calculará o tempo de permanência na vaga. Sistema semelhante é usado em Campo Grande (MS) e Belo Horizonte (MG).

Desativado

O estacionamento rotativo no Centro, controlado pela prefeitura, já existiu, mas foi desativado.

Flanelinhas

Sem o estacionamento controlado pelo poder público, quem comanda o trânsito de veículos são os flanelinhas, pois eles são contra a instituição do Zona Azul, porque perderão parte da renda diária.


Publicidade
Publicidade