Publicidade
Manaus
Manaus

Envolvidos na morte do sargento José Cláudio Marques são condenados a 36 anos de prisão

‘Olheira’ e ‘piloto’ do assalto que resultou na morte do policial, que fazia segurança para a esposa do ex-deputado Chico Preto (PMN), estão presos desde o ano passado 22/09/2015 às 17:09
Show 1
Jhonatan pilotava uma das motos, enquanto Susan era a ‘olheira’ do bando
Joana Queiroz Manaus (AM)

Trinta e seis anos de prisão. Essa foi a soma da pena de dois dos quatro assaltantes que, no dia 2 de setembro do ano passado, assassinaram o sargento da Polícia Militar José Cláudio Marques da Silva, 46, o “Caju”, que trabalhava na segurança do candidato a governo do Estado Chico Preto (PMN). No dia do crime, Caju estava acompanhando a mulher de Chico Preto, que havia sacado R$ 34 mil de uma agência bancária.

Susan Assunção da Encarnação, que segundo a polícia era a “olheira” do bando, foi condenada a 13 anos de prisão e Jhonatan Paiva Costa, que estava pilotando a motocicleta que levava o criminoso Marcelo Blanco da Silva, 26, que fez os disparos que mataram Caju, recebeu 23 anos.

Os criminosos foram sentenciados ontem pelo juiz da 8ª Vara Criminal Carlos Zamith. De acordo com o magistrado os Jhonatan e Susan são réus confessos. Eles integravam uma quadrilha especializada em fazer assaltos a pessoas que faziam  saques em bancos.

No dia do crime eles estavam acompanhados de outros dois assaltantes: Marcelo e Frank Rodrigues Rocha, 35, que  foram mortos em confronto com a polícia no dia 8 de setembro do mesmo ano.

Publicidade
Publicidade