Publicidade
Manaus
PERIGO

Equipe de reportagem é 'expulsa' de rua comandada pela FDN no Jorge Teixeira

O caso aconteceu na rua A, onde um homem foi encontrado morto dentro da própria casa. Ontem, traficantes do mesmo bairro impediram uma equipe da Semsa de vacinar moradores 19/07/2018 às 07:55 - Atualizado em 19/07/2018 às 08:22
Show rua a
A polícia informou que já registrou outros casos de pessoas que foram 'expulsas' da rua A (Foto: Reprodução)
Larissa Golvin Manaus (AM)

A equipe de reportagem do Manaus Hoje foi 'convidada' por volta das 10h dessa quarta-feira (18), a se retirar da rua A, na comunidade Santa Inês, onde um homem foi encontrado morto dentro da própria casa, no bairro Jorge Teixeira, na Zona Leste de Manaus. Ontem, traficantes do mesmo bairro impediram uma equipe da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) de vacinar moradores.

O carro da reportagem, que é caracterizado, foi visto nessa quarta-feira pelos ‘olheiros’ que ficam de prontidão na rua. Assim que o veículo entrou na via, um homem pediu que os repórteres fizessem o retorno e fossem embora. Enquanto o motorista do carro atendia a 'ordem' do rapaz, um outro homem que estava próximo a uma ladeira da rua correu e apareceu com mais três indivíduos. Os quatro vieram em direção ao veículo, onde estava a equipe de reportagem.

No meio do nervosismo, os repórteres perceberam que um dos homens estava apontando o dedo para o carro e andando mais rápido. Em seguida, a equipe de reportagem conseguiu sair do local, sem que fosse alcançada.

Uma moradora de uma rua vizinha, contou que ali na rua A, o crime atua de dia e de noite. “Vocês tiveram coragem de entrar. O local é barra pesada, é perigoso, eles ficam de olho em tudo e só ‘passando a visão’ pra quem está mais adentro da invasão”, contou a comerciante, completando que os traficantes fizeram uma ordem. "Dizem que a ordem é evitar a polícia no local". 

Patrulhamento

A 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que é responsável pela segurança dos moradores da área, informou que já recebeu ocorrências parecidas. “Já fomos avisados de um caso bem parecido. Estamos tomando todas as providências possíveis”, disse um policial, que também preferiu não se identificar.

Ainda a polícia informou que o patrulhamento na comunidade é feito com toda a normalidade. No entanto, afirmou que intensificará as atividades de rotina no local para intimidar os suspeitos. Também o órgão destacou que a comunidade é comandada pela FDN.

Publicidade
Publicidade