Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020
Obra de mini shopping

Escavadeira faz terreno ceder e romper tubulação da Manaus Ambiental

O rompimento da tubulação resultou num grande vazamento de água na avenida Perimetral 2, no bairro Parque Dez



11/09/2016 às 14:33

Uma escavadeira que estava sendo utilizada na obra de construção de um mini shopping na avenida Perimetral 2, no bairro Parque Dez, na Zona Centro-Sul, fez o terreno ceder e romper uma tubulação da Manaus Ambiental, ocasionando em um grande vazamento de água no local. O incidente ocorreu na madrugada deste domingo (11), por volta das 3h30.

De acordo com o morador da área que é vizinho da construção, o cirurgião dentista Hugo Seffair, 47, a escavadeira passou do limite necessário.



“Deixou sem suporte e cedeu o terreno, partindo a tubulação da Manaus Ambiental. Estou esperando um laudo da Defesa Civil e do Implurb [Instituto Municipal de Planejamento Urbano] para saber se a minha casa corre algum risco. O problema é o dano da água no terreno. Essa área é um aterro e em toda área de aterro se deve ter muito cuidado na hora de escavar”, declarou.

“Essa é uma obra licenciada pelo Implurb, mas por sinal está sendo mal executada ou não tem um planejamento correto. Uma coisa é a obra ser licenciada, outra coisa é a execução dela. A obra está causando risco à população porque, querendo ou não, uma parte da rua foi embora e está toda rachada. Os ônibus passam na Perimetral e o terreno cede”, acrescentou, complementando que dependendo do resultado dos laudos entrará com uma ação judicial contra os responsáveis pela obra.

Em nota, a Manaus Ambiental informou que o vazamento do terreno no Parque Dez foi ocasionado por uma construtora que ao realizar a obra do subsolo de um prédio expos a rede de distribuição de água e acabou rompendo a tubulação da concessionária.

Os técnicos da Manaus Ambiental estão no local realizando a manutenção corretiva do vazamento e disseram que o abastecimento de água na zona não será comprometido.

Por meio da assessoria, o Implurb informou que a obra possui um responsável técnico pela execução, que junto com o proprietário são os responsáveis diretos por eventuais danos causados a terceiros. A fiscalização do Implurb esteve no local neste domingo (12), e administrativamente foi suspenso cautelarmente o Alvará de Construção. A obra também foi embargada.

O proprietário poderá retomar a obra desde que atenda às condicionantes que levaram à suspensão do seu alvará, incluindo questões de segurança e reparos aos danos causados (público e privado). Algumas providências emergenciais já foram tomadas para liberar o tráfego no local. O Implurb aguarda um cronograma de ação do proprietário.

O setor de comunicação da Defesa Civil de Manaus informou à reportagem que os técnicos do órgão foram acionados para atender a ocorrência e constataram que durante o trabalho de escavação da obra, houve o rompimento da tubulação de água que resultou no desabamento de parte da calçada com fissuras na pista de rolamento. Por isso, parte da via foi interditada.

O setor de engenharia da Defesa Civil retornou ao local na manhã desta segunda-feira (12) e não constatou risco de desabamento de prédios vizinhos. A orientação é de que a obra continue embargada até que sejam providenciados os reparos da via e que deverá ser feita a contenção nas áreas limítrofes.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.