Segunda-feira, 18 de Novembro de 2019
FILANTROPIA

Escola para surdos em Manaus pede ajuda para atender crianças

Fundando em 1984, o Instituto Filippo Smaldone atende em média 700 pessoas com deficiência auditiva por mês na Zona Centro-Oeste



Instituto_Filoppo_Smaldone_8A6F7301-CC64-4201-8488-A6F140F36C09.JPG Foto: Divulgação
22/05/2019 às 20:55

O Instituto Filippo Smaldone, na Zona Centro-Oeste de Manaus, está passando por problemas financeiros que dificultam a manutenção das atividades do local. Referência no atendimento educacional a crianças e adolescentes surdos no Amazonas, a entidade sem fins lucrativos pede ajuda para continuar com os projetos assistenciais, educacionais e de saúde.

Localizado na avenida Tókio, no bairro Planalto, o instituto foi criado em 1984 e é gerido pela Congregação das Irmãs Salesianas dos Sagrados Corações. A organização tem 370 crianças matriculadas, sendo que 170 são surdas e cursam educação especial. Contudo, a entidade atende, por mês, uma média de 700 pessoas com deficiência auditiva oferecendo outras atividades.



Conforme a diretora do instituto, Irmã Alessandra Farias, apesar de as secretarias municipal (Semed) e estadual de Educação (Seduc) cederem os professores para atuarem no local, a maior dificuldade da entidade está na estrutura, manutenção e, principalmente, na alimentação.

“Nós buscamos parcerias para amenizar as nossas dificuldades financeiras, mas as coisas estão ficando cada vez mais difíceis e o orçamento, em especial para essas áreas, está ficando mais apertado. Somos uma entidade sem fins lucrativos, portanto, o principal meio de nós continuarmos nossas atividades é por meio de doações”, destacou.

Para Beatriz da Silva Oliveira, mãe do aluno Lucas Oliveira de Souza, de 11 anos, o instituto é fundamental para a educação do filho. “Prover educação especial para crianças surdas é bem difícil em Manaus e o instituto nos ajuda bastante nesse sentido. A escola é ótima e conta com educação integral. Isso nos deixa tranquilos enquanto pais, pois sabemos que eles estão tendo educação especial que atua junto à deficiência deles”, comentou.

“Como a maioria dos familiares dos alunos do instituto são carentes, a Irmã Alessandra está sempre realizando eventos para arrecadar fundos para o local. Os pais pagam um valor simbólico todos os meses para ajudar. Todos nós ajudamos da forma que podemos para manter a escola que é de todos nós”, concluiu Beatriz.

Como ajudar

Para contribuir financeiramente com o Instituto Filippo Smaldone, pode realizar um depósito bancário pelo Bradesco. A Agência é 3735-7 e a Conta Corrente 2571-2.

Mais informações sobre meios para ajudar a instituição podem ser obtidas ligando para o número (92) 3238-8877, enviando e-mail para o endereço comunidademanaus@gmal.com, ou acessando o site da instituição (clicando aqui).

News pedro01 9f97d6e2 e058 4e63 8ce7 e934cf255a3d
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

18 Nov
bradesco_C22DD61C-FE71-4FDD-BB1B-A5B7C048EF01.JPG

TRT11 celebra acordo de R$ 1,1 milhão entre Bradesco e ex-funcionária

18/11/2019 às 11:20

A bancária ingressou com reclamação trabalhista contra o HSBC e o Bradesco em novembro de 2016, pretendendo receber o pagamento de diferenças salariais, horas extras, tempo a disposição da instituição financeira durante as viagens, além indenização pelos danos morais sofridos no ambiente de trabalho


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.