Domingo, 25 de Agosto de 2019
Formando cidadãos

Escola de Manaus ensina Constituição aos alunos em curso de noções cívicas

Com objetivo de torná-los críticos e conscientes, a Escola Estadual Nilo Peçanha, no Centro, ministra formação cidadã de três dias para estudantes dos ensinos Fundamental e Médio



1089948.JPG A instituição escola é a 3ª do Brasil a desenvolver o projeto “Educação Constitucional” e a pioneira na região Norte (Foto: Euzivaldo Queiroz)
02/06/2016 às 10:24

Com a proposta de disseminar a noção cívica aos estudantes, ensinando-lhes sobre seus direitos constitucionais, como cidadão e futuro eleitor, além de aprenderem sobre seus deveres, que o corpo docente da Escola Estadual Nilo Peçanha, na av. Joaquim Nabuco, no Centro de Manaus, desenvolveu o projeto “Educação Constitucional”.

O curso ministrado em três dias, com encerramento previsto para hoje, atende 35 alunos do 9º ano selecionados na própria escola. De acordo com o idealizador do projeto, professor Iuri Lima, a metodologia do curso está voltado para formação da cidadania, possibilitando a socialização do conhecimento. “Nele, o aluno tem a interpretação de situações em que todo e qualquer cidadão igualitariamente tenha condições de fazer valer seus direitos tendo o conhecimento de exigi-los, como e onde consegui-los”, comentou.

O professor ressalta que a iniciativa foi baseada no projeto de Lei 6954 de 2013, do deputado Romário (PSB-RJ), que inclui o estudo da Constituição Federal nos ensinos fundamental e médio. “Pela proposta, a disciplina “Constitucional” deve formar um cidadão consciente de seus direitos individuais e deveres sociais. A proposta altera a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional”, explicou Iuri Lima.

O aluno do 9º ano, Danncan Cabral, destaca que a temática é importante, uma vez que o cidadão pode discernir sobre a distinção do que pode ou não perante a sociedade. Ao seu lado, Paula Victória define bem a proposta “O curso é bem interessante e nos dá a oportunidade de sabermos dos nosso direitos”, disse a estudante.

Também aluno do 9º ano, Valdemar Leite diz que o interesse pelos assuntos que tratam a “Carta Magna”, vem do cunhado, atua como advogado. Entretanto, ele não deixou de traçar elogios ao projeto. “Não é todo dia que vemos esse tipo de assunto sendo tratado e realizado em escola pública”, completou. Um dos ministradores do curso, o professor, Gilson Dias, levou ontem aos alunos, a temática “Introdução da Constituição: Direitos e Deveres”. Ele destaca que o assunto expõe aos alunos o debate quanto a sociedade de direito, participativa, plural e mista, onde foi abordado os tópicos:  direito da  cidadania, trabalhista, família,  bem estar social e  participação do cidadão. “Dentro desse contexto resgatamos o que o jovem tem feito junto a sociedade e o que ele está  vivenciando”, comenta.

 O projeto conta com o apoio da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), através da Coordenadoria Distrial 1, Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM) e Ordem dos Advogados do Brasil no Amazonas (OAB-AM).

Conteúdo de forma distinta

Para o gestor da Escola Estadual Nilo Peçanha, Joniferson Vieira,  a ideia do projeto “é tirar o aluno da mesmice e expor um  conteúdo de forma diferenciada da aula tradicional, que também é necessário, mas com  elementos que motive o aluno, como as  pesquisas para que ele tenha  uma visão mais crítica do tema”.

Joniferson lembra que a proposta começou no início do segundo semestre do ano passado com a sensibilização com os alunos para o empenho com as atividades escolar, em razão da escola estar situada numa local perigoso, considerado como ‘área vermelha’.

“A partir daí passamos a viabilizar outras ideias, umas delas o contato com a Escola Legislativa da ALEAM, onde os alunos participaram de algumas atividades e, posteriormente, o professor Iuri, acenou com a  proposta e colocá-la para os alunos do Nilo Peçanha”, explicou Joniferson.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.