Sábado, 06 de Junho de 2020
conectados

Escola estadual cria perfil no Instagram para alunos exercitarem conhecimentos

Estudantes assistem às aulas do programa “Aula em Casa” e em seguida vão na conta da escola no Instagram exercitarem conteúdos com desafios e enquetes



mat_ria_ac_1_EB194E0D-73B9-4A80-A1CE-E7D78E62402C.JPG Foto: Jair Araújo
25/04/2020 às 10:08

Além das aulas disponibilizadas online ou por meio da televisão pelo programa “Aula em Casa”, do Governo do Amazonas, a equipe pedagógica da Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Professor Leonor Santiago Mourão, localizada no bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul de Manaus, resolveu criar um Instagram para se conectar com os alunos durante o período de quarentena.

A escola utiliza a rede social para se aproximar dos alunos que estão em casa, por conta da suspensão de aulas devido ao avanço dos casos de Covid-19 no Estado. Na prática, o aluno, após assistir o programa, busca o Instagram para conferir quais são os exercícios e materiais pedagógicos oferecidos pelos seus professores.



De acordo com a professora de Língua Portuguesa e administradora do perfil da escola no Instagram, Jesua Maia, a iniciativa visa manter os alunos conectados aos professores mesmo em casa. Na página da rede social, os jovens encontram atividades para exercitarem seus conhecimentos, desafios e enquetes, o que conforme Jesua, estimula o aluno a dar continuidade aos estudos.

“A ideia surgiu de um estudo que fizemos sobre o uso das mídias sociais para nos aproximarmos dos estudantes em meio à pandemia da Covid-19. Sabíamos da estratégia do governo para exibição do programa ‘Aula em Casa’ na TV, mas precisávamos de algo que nos aproximasse da realidade do aluno”, explicou. 

A página, criada no dia 22 de março, já conta com mais de 400 seguidores, entre alunos, professores, pais e responsáveis, e de outras pessoas interessadas no conteúdo. “O Instagram hoje em dia é uma plataforma que reúne diversos segmentos, lojas, artistas, entidades governamentais e, agora, é nosso canal oficial de comunicação com nossos alunos. Acabamos de fazer um mês e já é possível ver os resultados do nosso trabalho. Os alunos respondem às nossas enquetes e perguntas nos Stories e sempre estão em contato conosco pelo Direct”, comentou a professora Jesua.

A EETI Professor Leonor Santiago Mourão possui 332 alunos que estão divididos nas turmas de Ensino Fundamental 2, indo das séries do 6º ao 9º Ano. “A escola precisa alcançar o máximo de alunos para que o ano escolar dos mesmos não seja prejudicado. Quanto mais os alunos acessarem a página, fizerem as tarefas e interagirem melhor será o trabalho em sala após a quarentena”, avaliou.

E quanto aos pais, a implementação da interatividade tem chamado atenção deles, que em sua maioria aprova as atividades. Para Jesua Maia, os pais têm um papel fundamental no processo porque cabe a eles acompanhar a execução das atividades propostas pelos professores para o Instagram. “Sem eles todo nosso esforço seria em vão. Mas a maioria gosta da estratégia e interage conosco”.

O modelo de interação e a criatividade na maneira de como os exercícios são passados também desperta a atenção da Coordenadoria Distrital de Educação 3, da Secretaria de Estado de Educação e Desporto (Seduc), a qual é a responsável pelas escolas da Zona Centro-Sul. “Eles (coordenadoria) utilizam a nossa ideia como modelo para outras escolas”, disse Jesua.

No perfil no Instagram da Escola Estadual de Tempo Integral (EETI) Professor Leonor Santiago Mourão é disponibilizado a lista de atividades de todas as matérias e os exercícios que abrangem os assuntos das aulas exibidas no programa “Aula em Casa”.   Além desse conteúdo, a equipe pedagógica propõe atividades para desenvolver as habilidades motoras dos jovens como os exercícios de artes e educação física.

E para que o conteúdo seja preparado, os professores se reúnem por videoconferência. Para o futuro pós-pandemia da Covid-19, a professora Jesua Maia destacou que a rede social continuará servindo de apoio aos alunos.

“Já recebemos instruções de prosseguirmos com as atividades no Instagram mesmo depois do retorno às aulas em sala, até como forma de motivarmos os alunos. Trata-se de uma vitrine dos trabalhos realizados pela escola e para eles ajuda a criar o sentimento de pertencimento à escola. E isso é muito importante”, disse a professora de Língua Portuguesa.

Plataforma para alunos especiais 

Para auxiliar os responsáveis pelos alunos da educação especial no projeto “Aula em Casa”, neste período em que estudam a distância, as secretarias municipal de Educação (Semed) e de estado de Educação e Desporto (Seduc) disponibilizaram uma série de materiais pedagógicos complementares destinados ao público dessa modalidade. É possível acessar o conteúdo pela plataforma digital Saber+, por meio do link http://www.sabermais.am.gov.br.

A plataforma disponibiliza conteúdos de língua portuguesa e matemática, além de materiais complementares, como habilidades psicomotoras, rotinas, atividades em Libras, histórias contadas, jogos e recursos complementares com atendimento educacional aos alunos com deficiência de acordo com a necessidade de cada um.

A medida segue as ações preventivas da Prefeitura de Manaus e do Governo do Amazonas para combater à proliferação do novo coronavírus e foi adotada para que não haja prejuízo no aprendizado dos alunos.

“Todas as aulas já contam com a tradução em Libras e agora incluímos a plataforma Saber+ para auxiliar os pais, professores e alunos que contam com uma aula que possibilita o atendimento de todos e para todos”, afirmou a subsecretária municipal de Gestão Educacional (SGE), Euzeni Araújo, sobre os esforços em assegurar a inclusão e aprendizagem de todos os alunos da rede municipal.

Atualmente, a Semed atende 473 alunos com deficiência, entre Transtorno do Espetro do Autismo (TEA), altas habilidades/superdotação, surdos, deficiência auditiva, cegos e com dificuldade de locomoção, matriculados em 248 escolas da rede municipal de ensino.

A criação da plataforma só foi possível devido a parceria entre as secretarias de Educação do município e do Estado, que complementam as atividades do “Aula em Casa”, no qual todos os alunos participam de acordo com a turma em que estão inseridos.

E conforme a gerente de Educação Especial da Semed, Cintia Cavalcante Rodrigues, as atividades da plataforma são atualizadas a cada 15 dias e contam também com um mural, onde os professores, pais e alunos podem compartilhar suas experiências.

“Todos os conteúdos são atualizados a cada 15 dias, acompanhando os assuntos abordados no ‘Aula em Casa’. Na plataforma existe um espaço onde os professores e responsáveis, além dos alunos podem compartilhar as atividades que desenvolvem”, explicou.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.