Quarta-feira, 21 de Agosto de 2019
MERENDA

Escolas municipais em Manaus liberam alunos mais cedo por falta de merenda

Várias instituições de ensino da rede municipal da capital estão encerrando as aulas antes da hora por não haver merendeiras para preparar alimentos



show_merenda.JPG Foto: Arquivo A Crítica
19/03/2018 às 12:50

Alunos da rede municipal de ensino de Manaus continuam sendo liberados mais cedo porque algumas escolas não têm merendeiras. Os alunos estão sendo prejudicados desde o início do ano letivo e podem sofrer com o problema por mais tempo, já que a licitação para a escolha da nova empresa ainda continua em andamento.  

Desde 5 de março, os alunos do Centro Municipal de Ensino Infantil Professora Gracineide Chagas Negreiros, na rua São Francisco, na comunidade Jesus Me Deu, Zona Norte, estão sendo liberados antes da hora. Além de prejudicar o ano letivo das crianças, a falta de planejamento da Secretaria Municipal de Educação (Semed) também prejudica os pais de alunos que precisam sair mais cedo do trabalho para buscar os filhos ou deixam de honrar outros compromissos.

Na página oficial da secretaria no Facebook é possível ver vários relatos de pais de alunos denunciando que os filhos continuam sendo liberados antes do horário por falta de profissionais para preparar o lanche das crianças e adolescentes. “Cadê as merendas aqui no Val Paraíso, Comunidade Chico Mendes. A Escola Professora Aribaldina de Lima Britto está sem merenda”, escreveu um homem.

A Prefeitura de Manaus informou que, em virtude do término de contrato com a empresa prestadora de serviço de manipuladoras de alimentos, iniciou em fevereiro um processo licitatório por meio de pregão eletrônico para escolher o novo prestador do serviço. Após pedido de impugnação por parte de um dos participantes, no início do mês de março, a licitação precisou ser refeita, atrasando a conclusão. Atualmente, o processo está em fase de análise das propostas apresentadas, até 21 de março. Caso não haja nenhum novo questionamento por parte dos participantes do pregão, o resultado final com a contratação da empresa deve ocorrer até o mês de abril.

No mês passado, a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) informou que iria instaurar um processo administrativo para apurar a falta de planejamento da Semed com relação à falta de merendeiras no inicio do ano letivo 2018.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.