Sábado, 20 de Julho de 2019
Manaus

Escolas municipais próximas ao Ipat são evacuadas

Segundo a Semed, o centro de operação de segurança escolar, as Polícias Civil e Militar e Polícia Rodoviária Federal estão trabalhando no monitoramento das escolas para reforçar a segurança, principalmente das crianças



1.jpg A escola municipal Solange Nascimento foi uma das que tiveram as aulas suspensas nesta quarta (10)
10/07/2013 às 14:10

Escolas municipais localizadas na BR 174, nas proximidades do Instituto Penal Antônio Trindade (Ipat) foram evacuadas na manhã desta quarta-feira (10) após uma suposta troca de tiros entre polícia e foragidos da unidade prisional. A situação aconteceu após uma rebelião que resultou na fuga de 144 detentos começou no fim da tarde de terça-feira (9) e seguiu até as primeiras horas desta quarta-feira (10) no presídio que fica localizado no KM 8. Até o momento 61 foragidos foram recapturados.

A informação sobre a liberação dos alunos das escolas municipais foi confirmada pela assessoria da Secretaria Municipal de Educação (Semed). De acordo com a assessoria, uma funcionária da escola municipal Ester, teria escutado um barulho, possivelmente de tiros e informou a direção. Não houve tumulto e nem invasão a escola.

Ainda segundo a Semed, o centro de operação de segurança escolar, as Polícias Civil e Militar e Polícia Rodoviária Federal estão trabalhando no monitoramento das escolas para reforçar a segurança, principalmente das crianças, já que os locais podem servir como refúgio para os foragidos. Entre as escolas municipais que tiveram as aulas suspensas estão: Ester, Padre Calleri, Ismail Aziz e Solange Nascimento.

De acordo com a diretora da Escola Municipal Padre Calleri, Cinthia Lima, alguns pais chegaram à unidade escolar desesperados após saberem do suposto tiroteio. Em seguida, a Semed solicitou que os alunos fossem liberados para ir pra casa.

“Soubemos sobre o suposto tiroteio e liberamos os alunos após recebermos uma ligação da secretaria. A gente se sente insegura, nossa escola tem o muro baixo e ficamos a mercê de qualquer situação”, declarou.

Segundo o comandante do Comando de Policiamento Especial (CPE), coronel Aroldo Ribeiro, a polícia recebeu a informação de que uma funcionária da Escola Municipal Ester teria ouvido barulhos suspeitos próximo do muro do local. Policiais da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam) foram até a escola, porém ninguém foi encontrado.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.