Publicidade
Manaus
Manaus

Espera por ônibus nas paradas ultrapassa os limites no final de semana em Manaus

Se de segunda a sexta andar de ônibus é complicado, no fim de semana a frota diminui e a espera dos usuários aumenta nas paradas da cidade afora 29/09/2014 às 09:11
Show 1
Cena comum no Terminal da Matriz, no Centro de Manaus, durante as tardes de domingo: usuários esperando nas paradas e, nas ruas, nenhum ônibus circulando
Camila Leonel ---

Andar de ônibus em Manaus é um desafio para os usuários do transporte coletivo. A longa espera nas paradas e terminais se agrava nos dias de domingo com a redução da frota. Por causa do fim de semana, o movimento de pessoas é reduzido, mas para quem precisa se deslocar, paciência é fundamental.

No ponto de ônibus localizado na avenida Epaminondas, no Centro, próximo ao Colégio Militar, diversas pessoas estavam à espera do ônibus, ontem. A maioria reclamava da demora. O usuário Eduardo Lelis estava há 30 minutos esperando o ônibus da linha 315, que vai para o bairro Armando Mendes. A dona de casa Luzanira Gomes, tinha duas opções de ônibus: as linhas 310 e 444, mas mesmo assim estava há mais de meia hora esperando. Ela contou que costuma usar o transporte coletivo nos finais de semana e relata que, todo domingo, o ônibus demora muito.

Já a autônoma Flávia Silva esperava o ônibus da linha 324 e disse que perdeu as contas de quanto tempo estava na parada com as duas filhas. Ela contou que sempre usa o coletivo durante o fim de semana e que, além de demorar, dependendo da hora do dia, ele vem cheio. “Ele vem lotado na semana, mas é muito pior no domingo”, relatou.

Situação semelhante é percebida no Terminal da Matriz, localizado na rua 15 de Novembro, também no Centro. A dona de casa Marina Alves esperava o 676, linha que vai para o Jorge Teixeira, e disse que estava há quase uma hora na parada. Ela também relatou que, nos finais de semana, a lotação é maior, assim como a espara. Já para Katiúcia Bezerra, que desejava ir para o bairro Ouro Verde, a espera é de cinco, dez minutos, segundo ela. “Do Centro para o Ouro Verde é rápido”, relatou.

Demanda

O presidente da Superintendência Municipal de Transportes Urbanos, Pedro Carvalho, disse que a frota dos ônibus é definida de acordo com a demanda. Em média, a redução é entre 40 e 60% devido à queda no número de usuários das linhas no domingo. Por outro lado, ônibus que circulam por áreas como a Ponta Negra têm a rota duplicada e, dependendo da atração ou programação do dia no complexo, o número de ônibus das “rotas de lazer” pode aumentar dez vezes.

Publicidade
Publicidade