Publicidade
Manaus
LOCAL ESQUECIDO

Antiga casa de shows no complexo turístico da Ponta Negra segue abandonada

Nos últimos anos a estrutura tem servido de abrigo para moradores de rua e usuários de droga 29/07/2017 às 02:30 - Atualizado em 29/07/2017 às 15:32
Isabelle Valois Manaus (AM)

Um dos “points” mais bacanas e bem frequentados da Manaus dos anos 90 e início dos anos 2000 hoje é motivo de medo e transtornos para turistas e frequentadores da praia da Ponta Negra. O espaço do restaurante construído pela Prefeitura de Manaus está totalmente abandonado e foi a única estrutura do complexo turístico que não passou por restauro. 

Nos últimos anos a estrutura  serve de abrigo para moradores de rua e usuários de droga que, além de deteriorar ainda mais o local, o transformou em banheiro público e “fumódromo”.

Localizado quase ao lado do posto de saúde do complexo da Ponta Negra, o antigo restaurante ainda  “rouba” a beleza da praia. Passar próximo  ou caminhar nesta área é necessário conviver com um forte odor de urina e fezes. Quem trabalha  no complexo  afirma que há dias em que o odor toma conta do ar no entorno. Por causa disso, a população evita transitar pela  área prejudicando a venda  dos quiosques.

Assim afirma o motorista Jonison Lisboa de Lucena, 24. Diariamente ele é responsável por entregar  encomendas nesses quiosques e tem se assustado com a proporção que o problema tem ganhado. “Não entendo como ninguém faz nada. O casarão é praticamente ao lado do prédio da prefeitura onde trabalham várias pessoas e parece que ninguém se incomoda com a situação. Todo dia é um odor terrível de dejetos humanos. Isso é totalmente feio para nossa cidade, ainda mais em um local visado pelos turistas”, avaliou.

A cozinheira Marilene Cardoso, 40, diariamente passa por esse trecho e afirma que a situação às vezes é constrangedora. Segundo a cozinheira, entre as idas e vindas ao trabalho, ela chegou a presenciar casal de drogados no momento do ato sexual. “Para eles é algo mais que comum. O problema que além de não respeitar as pessoas que passam por aqui, o rapaz quando percebeu que tinha visto o que eles estavam fazendo virou e me mostrou os órgãos genitais. Uma total falta de respeito”, contou a cozinheira.

Garis que também trabalham no complexo da Ponta Negra afirmam que a situação é bem mais séria. Com medo de represália, eles preferiram não se identificar, mas contaram que esses usuários de droga além de invadir o casarão para utilizarem entorpecentes, usar o local como banheiro é uma área de fuga após os roubos e assaltos cometidos por esses indivíduos.

Até o início deste ano, a base dos garis era localizado quase ao lado do casarão, mas por conta dos constantes roubos cometidos pelos moradores do prédio abandonado houve uma mudança da base. “Eles levavam tudo que havia dentro da nossa base de descanso. Até a botija de gás foi alvo deles. Agora que mudamos de base até melhorou, mas para aqueles que precisam trabalhar limpando nesta parte do complexo é um pouco desconfortante, pois nunca sabemos se eles estão drogados, se vão querer levar alguma coisa. Até água mineral eles querem roubar de quem está limpando nas proximidades do casarão”, disse o gari.

Implurb tem projeto

O Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb)  informou que o prédio batizado de  Local Casa de Praia, uma das edificações existentes no Complexo Turístico Ponta Negra, Zona Oeste, tem um projeto pré-executivo, pronto para licitar, elaborado pelo instituto. 
De acordo com o órgão, a prefeitura busca financiamento para executar a obra de reforma e ampliação do espaço e estuda também mecanismos de realizar uma parceria público privada. 

Quanto à segurança, o Implurb informou que o parque Ponta Negra conta com efetivos da Guarda Municipal, totalizando 38 homens, e da Polícia Militar (PM), sendo 21 PMs diretamente na ciclopatrulha, além das guarnições de policiamento ostensivo que atendem ao bairro. “Os efetivos atuam na salvaguarda dos usuários do complexo e na segurança geral, inclusive identificando e combatendo possíveis usuários de droga que estejam no local”, informou o órgão.

‘Points’ da cidade

Nas décadas de 90 e 2000  o casarão abrigou  famosos clubes de shows da cidade. Entre eles, Papagaio Show Clube, depois o El Mosquiton e finalmente o   Local Casa de Praia. Quem frequentou os clubes nesse tempo afirma que nesses dias o local foi  um dos melhores points de Manaus. Hoje o restaurante está totalmente abandonado e entregue aos moradores de rua e usuários de droga.

Histórico

Construído durante a primeira grande reforma feita na área da praia da Ponta Negra, o restaurante abrigou, inicialmente, a casa de shows Papagaio, depois o El Mosquitom e por último a Local Casa de Praia.

Publicidade
Publicidade