Publicidade
Manaus
CAOS URBANO

Universitária relata momentos de terror e aflição após cair em um esgoto no Centro

Estudante caminhava pela rua Henrique Martins, na última quarta (29), quando pisou na tampa do bueiro e foi surpreendida ao cair dentro do esgoto durante a chuva; ela conseguiu ser resgatada a tempo 31/03/2017 às 05:00 - Atualizado em 31/03/2017 às 08:51
Show bueirotaiana1
Foi em um bueiro transbordando como esse, na rua Henrique Martins, Centro da cidade, que a estudante Taiana Souza caiu e foi logo socorrida (Fotos: Márcio Silva)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Dificilmente a estudante universitária Taiana Souza, 29, vai esquecer a última quarta-feira, dia 29. Nesse dia, pela manhã, durante a chuva, ela passou por momentos de aflição, susto e agonia ao cair dentro de um bueiro que estava transbordando na rua Henrique Martins, Centro da cidade. Medindo 1,60m de altura, ela ficou com lama e água do esgoto até a altura do tórax 

“Na chuva da última quarta, entre 11h e meio-dia, eu vinha caminhando com um amigo e caí dentro do bueiro, cuja tampa estava boiando em cima e não imaginava que eu iria cair. Só não submergi (afundou) porque eu estava com a minha mochila, que suportou o meu peso, e acabou dando tendo de ser resgatada pelo meu amigo”, disse a acadêmica. 

No momento do ocorrido, Taiana comentou que teve medo de morrer. “Fiquei com medo pois isso já aconteceu com tantas crianças em Manaus e eu poderia entrar para a estatística. Foi a primeira coisa que eu pensei. Poderia ter sido mais grave, mas felizmente consegui sair viva dessa situação”, destacou a moradora da Compensa, na Zona Oeste da cidade.

Até ontem, decorridos mais de 24 horas do susto, ela disse que ainda não conseguia dormir direito e a todos momento lembrava da dramática situação.

A estudante universitária resolveu denunciar o caso após ser vítima, inclusive ela confirmou que vai acionar juridicamente a concessionária Manaus Ambiental. “A situação poderia ter sido mais grave. Em face disso, resolvi denunciar para que fatos como esse não aconteçam mais e que sejam tomadas providências para não ocorrer isso com outras pessoas, nem com adultos, crianças, idosos..”.

Outras pessoas também manifestaram a sua insatisfação com a situação dos bueiros  da Henrique Martins. “Acabei de sujar meus pais no esgoto que está transbordando aqui. Isso é um real absurdo, pelo amor de Deus. As autoridades precisam tomar providências quanto aos absurdos que existem na cidade inteira. Quando não é buraco, é encanação estourada”, disse Samara Silva, 34, atendente.

Outro lado

Questionada por meio da reportagem se a empresa vai fazer alguma melhoria nos bueiros da rua Henrique Martins, por meio de sua assessoria de comunicação a Manaus Ambiental informou que, no início da tarde de ontem, uma equipe  técnica do órgão já estava em deslocamento para verificar a situação do local e dar as devidas tratativas. A assessoria afirmou que, após análise encaminharia uma nota oficial com a real situação do local, o que não aconteceu até o fechamento desta edição.

Frase

"Tive medo de morrer pois isso já aconteceu com tantas crianças em Manaus e eu poderia entrar para a estatística"

Taiana Souza, universitária

Blog

Taiana Souza, 29, estudante universitária

Fiquei com medo de morrer, com medo de acontecer com alguém. Poderia ter sido com uma criança, com um dos meus três filhos, com quem eu sempre venho ao Centro da cidade. É o que passou pela minha cabeça na hora do ocorrido. Mas, após o acontecido, na hora que eu me recuperei, a primeira coisa que eu pensei foi de não deixar em branco. Não só virar uma história, mas contar para que sejam tomadas providências para que isso mude. Vou processar a concessionária de esgoto (no caso a Manaus Ambiental, que desde o dia 17 de maio de 2012 atua nos serviços de tratamento e distribuição de água, coleta e tratamento de esgoto na capital amazonens) pois não é certo e acredito que a situação não pode ficar assim.

Três mortes e uma assinatura de TAC

A morte de três crianças  no ano passado foi literalmente a gota d’água para que o Ministério Público do Estado (MPE-AM) obrigasse a Prefeitura Municipal de Manaus a assinar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para tapar 2.499 bueiros abertos na capital dentro de um prazo de 120 dias, que se encerra em 5 de abril.Segundo números divulgados pelo Município em março, 1.160 dos 1.499 bueiros foram tampados.

Em 2016, morreram após caírem em bueiros os garotos Gustavo Silva Araújo, de 7 anos, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte; André Pereira Crescenço, 6, no bairro Novo Aleixo, Zona Leste, e Guilherme Guerreiro, de 7, no bairro Alvorada 2, Zona Centro-Oeste.

Em Números

3

É o número de crianças que morreram, ano passado, após caírem em bueiros boca-de-lobo existentes na cidade de Manaus. A situação é ainda mais aterrorizadora em dias de chuva na capital amazonense.

Publicidade
Publicidade