Publicidade
Manaus
Tecnologia cabocla

Estudantes da UEA produzem carros off-road com baixa emissão de gás carbônico

Universitários querem mostrar a força do AM na produção deste modelo para participar de competições no Brasil 19/08/2016 às 20:55 - Atualizado em 19/08/2016 às 20:55
Show uea
Estudante Paulo Victor, da equipe que desenvolveu o projeto. Foto: Antônio Menezes/Divulgação
Alik Menezes Manaus (AM)

Um grupo de universitários da Universidade do Estado do Amazonas tem se dedicado em produzir carros off-road para participar de competições no Brasil. Os estudantes querem mostrar ao País que o Amazonas tem potencial para criar esses modelos de veículos. 

O principal destaque do carro dos estudantes e integrantes do projeto Baja da UEA, que no total são 22 universitários, é o pouco consumo de combustível e, consequentemente, a baixa emissão de gás carbônico.

De acordo com o estudante de engenharia de controle e automoção, Paulo Victor Ibernon, 19, no carro é usado um motor de carro de cortador de grama e um tanque com capacidade para três litros de gasolina.

Com esse carro, os estudantes venceram uma competição como o melhor carro da região Norte do País. A região Norte ainda não tem uma competição especifica, os jovens precisam se deslocar ao Nordeste para participar de competições.

Mas o foco principal dos estudantes é se destacar no Baja Sae Brasil, que acontece uma vez por ano, geralmente no mês de março. De acordo com o estudante, é a oportunidade que os jovens tem de mostrar para o País que o Amazonas tem estudantes e futuros profissionais que tem potencial para desenvolver esse tipo de carro.

Os estudantes se usam uma oficina na UEA da Avenida Darcy Vargas para projetar e montar o carro. O grupo já desenvolveu dois carros e daqui a duas semanas já começa a trabalhar no terceiro carro focando na competição nacional do próximo ano.

O estudante de engenharia mecânica, Lucas Oliveira, 21, disse que sempre que podem optam por usar matérias que não poluem e no próximo carro pretendem usar fibra de Carauá, que é uma bromélia tipa da região amazônica. “Depende do projeto, ainda não temos certeza se vai dar certo, estamos estudando ainda”, disse.

Os universitários realizam nos dias 26, 27, 28 e 29 deste mês a Exposição Baja UEA, no 2º piso do Manaus Plaza Shopping a partir das 10 horas.

 Segundo os universitários, que integram o projeto, apesar do potencial do Amazonas, o investimento é muito baixo quando comparado com o que as equipes do Sul e Sudeste recebem. Paulo Victor Ibernon contou que o projeto no Amazonas recebe apoio de oito empresas, que colaboram, principalmente, com peças para os carros. “Nós somos muito grato a eles porque esse apoio ajuda bastante e a gente consegue ter bons resultados”, disse.

Disputa no País

O universitário Paulo Victor Ibernon disse que eles disputam com grupos do País que recebem investimento pesado de empresários. “Tem equipe que recebe até R$ 100 mil de patrocínio e nós não temos isso, então você pode ver que a gente faz um trabalho bacana mesmo sem o investimento que esses caras têm”.

Projeto desenvolvido com financiamento

A oficina inaugurada em maio de 2014 foi construída com financiamento da Fundação de Pesquisa e Amparo do Amazonas (Fapeam), no valor de R$ 299 mil,  além de patrocínio da empresa de motocicletas Yamaha. O projeto de elaboração do mini-baja começou em 2012, mas a execução foi iniciada em julho do ano passado, em paralelo a construção da oficina, com a obtenção do financiamento da Fapeam e com o patrocínio da Yamaha, que doou peças e ofereceu cursos de capacitação aos estudantes.

A reitoria da UEA ressaltou a importância da realização de parcerias entre a universidade e empresas privadas, já que, além da Yamaha, a Universidade do Estado do Amazonas também tem parcerias com empresas voltadas para área de tecnologia.

Publicidade
Publicidade